Eleições 2014: Paulo Souto admite candidatura ao governo da Bahia


Apesar de a escolha do candidato que representará a oposição na disputa pelo governo estar programada para ocorrer até o Carnaval, ontem, o ex-governador Paulo Souto (DEM) admitiu pela primeira vez, mesmo que nas entrelinhas, que pode aceitar o convite e se candidatar a vaga de gestor do Estado. Durante parte do cortejo, o democrata resistiu falar de política e das eleições deste ano. “Prefiro que os partidos decidam. O importante é que a grupo está unido e caminha com tranquilidade. Hoje é dia de Bonfim”, limitou-se.

No entanto, ao ser novamente instado a falar sobre o desejo de ser candidato e encabeçar a chapa oposicionista da Bahia, Souto minimizou e disse que precisaria de “consenso” e “meio termo” para topar. Esta foi a primeira afirmação, mesma que entrelinhas, em que o democrata assume a possibilidade de sair candidato. Logo em seguida, Souto evitou comentar mais sobre política e completou afirmando que prefere esperar a decisão dos partidos aliados. “Prefiro que os partidos decidam. Vou aguardar. Hoje é o dia da Bahia, o dia da cultura local”, disse, revelando o pedido que faria ao Senhor do Bonfim. “Quero muita saúde e bênção para minha vida”, disse.

Para despistar os questionamentos insistentes sobre a eleição, o democrata aproveitava para concentrar suas declarações no sincretismo religioso da festa, ressaltando que todo ano participava do Cortejo. “Não deixo de vir. É um momento importante para a Bahia e para os baianos. Estou sempre presente”, finalizou. Enquanto isso, o pré-candidato do PMDB, Geddel Vieira Lima, aproveitava para reafirmar que a oposição permanecia unida, dialogando com a população, “discutindo a construção de novos projetos para a Bahia”.

Fonte: Tribuna da Bahia

Comentários