Lavagem da Glória em louvor ao Senhor do Bonfim de Nagé: Tradição, fé e história


Todos os anos, no mês de janeiro fiéis de várias localidades de Maragogipe e da Bahia seguem até o distrito de Nagé para a famosa Lavagem da Glória, neste ano de 2014, não foi diferente.

Costumo afirmar, enquanto historiador que é a Festa do Senhor do Bonfim de Nagé é por si só um atrativo a parte. Faz-me relembrar dos bons momentos de todas as outras lavagens que acontecem em Maragogipe e no Recôncavo, pois tem uma característica fundamental - é composta por amigos, irmãos e conhecidos.

Para quem não conhece essa tradicional história de fé, explico que ela acontece no segundo domingo depois do Dia de Reis, no mês de Janeiro, com novenário solene e exposição do Santíssimo Sacramento pelo capelão na Igreja do Bonfim em Nagé. A população, esbanja-se em festa na “Lavagem da Glória” ou Popular de caráter afrorreligioso com grande participação do povo e uma característica marcante que todo maragogipano tem em seu jeito de festejar.


Minha estimada mãe dizia que na Lavagem da Glória, o nageense cantava nas ruas a seguinte frase: "Povo de Coqueiros deixa de bobagem, atravessa a lama e vem pra lavagem". Se pararmos para analisar essa frase, perceberemos que está composta no ritmo da charanga maragogipana.

Sem sombra de dúvidas a  Vila Morena sabe festejar. Em seus festejos, nota-se a presença das baianas com suas jarras de flores e seus estandartes.

Nota importante:
A festa do Senhor do Bonfim é tão importante para os baianos que neste ano, a festa que acontece nas colinas do Senhor do Bonfim, em Salvador, foi reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Imaterial do Brasil.

Foto: Chiquinho de Maragogipe

Comentários