Provocações 01: Claudio Guedes provoca relatando ineficiência dos gestores municipais

Esse é nosso primeiro texto e vem do amigo Claudio Guedes. Inaugurando o quadro com muitas provocações. E aí, será que tem alguma resposta? Ou mais provocações?


Por Claudio Guedes

É uma via legítima fora do período eleitoral de se trazer um tema que a sociedade em geral apenas participa de 4 em 4 anos e é pega de surpresa quanto aos projetos e idéias do candidato. O período de campanha é insuficiente para amadurecer a intenção de voto do eleitor, precipitando muitas vezes uma decisão que pode trazer arrependimentos. O interessante seria que essa ideia começasse desde já e perdurasse até o início do processo eleitoral, servindo esse momento apenas para o candidato concluir e apresentar suas considerações finais a respeito de seu projeto de governo para o município. Agora, seria interessante criar um ente para corporificar ou adensar a representatividade dessa vontade política perante os políticos. Brilhante ideia, Zevaldo.

Olha, Zé, eu sou uma pessoa muito séria e como tal levo tudo muito a sério, pautando sempre minhas metas em resultados que possam ser medidos ou aferidos. Sendo assim, sempre procuro ser prático e efetivo nas minhas colocações, muito embora alguns me vejam como prolixo. Rapaz, eu não vejo uma Maragojipe muito diferente do que há 20 anos atrás, considerando-se muitas outras cidades baianas, que tiveram uma ascensão social expressiva nesses últimos anos, sem nem mesmo ter 1/4 da idade que possui a nossa. 

É claro que em virtude dos 2 novos empreendimentos a serem implantados, a cidade dará um salto importante, tanto em termos econômicos, quanto de arrecadação de tributos a serem convertidos em favor do município, mas não sei se em sede de qualidade. Creio que se não houver um bom planejamento, medidas corretas e forte fiscalização, as coisas podem se agravar sob o aspecto da: violência, superpopulação, má ocupação do solo, favelização de bairros, tráfico de drogas, mendicância e etc. Atualmente, penso que o município encontra-se nas mãos de uma gestora ineficiente (Vera da Saúde) e que não tem boas intenções para com a cidade, mesmo considerando todo sofrimento ocorrido na gestão antecedente, as quais em quase nada acresceram significativamente, a ponto de se perceber "mudanças de verdade". 

Maragogipe hoje continua sem uma boa iluminação das vias públicas, sem rodoviária, sem hospital decente e de médio porte, maternidade, bancos, mal sinalizada, obras mal acabadas, comércio desordenado, empresários desacreditados com a administração, grandes bairros da cidade e distritos sem calçamento, sem semáforos, servidores desmotivados e sem perspectiva da carreira, muitos professores municipais sem capacitação ou desviados de função, Guardas Municipais mal remunerados pela função sensível que desempenham, mal equipados e que estão sendo subutilizados ou mal-empregados na segurança, falta de câmeras de segurança nas ruas, estudantes sem esperanças de concluírem um curso superior, não há casa dos estudantes na capital, não há estímulo exemplar por parte do chefe da cidade, falta de uma empresa pública exploradora de atividade econômica para impulsionar a economia local e interferir no mercado local da cidade, para que o próprio município sinta na pele as dificuldades do empresário empregador, falta de uma política fiscal séria na parte de arrecadação com conscientização da população contribuinte; em suma: nada diferente do que se viu nesses últimos tempos.

Comentários