A Maçonaria e a violência em Maragogipe

Por Paulo Vicente Guerreiro

Seguindo o exemplo de algumas Lojas Maçônicas do Brasil, como agora em Maragogipe, em vista dos altos índices de violência, - não só homicídios, mas também furtos, roubos, trafico de drogas e agressões as mulheres e idosos – que preocupam a toda sociedade Maragogipana, solicito a esta Loja que seja elaborado um manifesto onde possamos requerer providências e sugerir ações para conter a violência.

Esse manifesto após elaboração deverá ser encaminhado as autoridades competentes do nosso Município e do nosso Estado, assim como, à OAB/BA, Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, Conselho de Justiças e a Grande Loja Maçônica do Estado da Bahia, para discutir o assunto.

O manifesto deverá questionar o papel do Estado, que é, no meu entendimento e acredito da Maçonaria, o principal responsável pelo bem-estar social de todos os indivíduos que compõem nosso município. A Loja Acácia do Paraguaçu como as demais Lojas Maçônicas que representam historicamente aqueles menos afortunados e perseguidos, deve cobrar junto às autoridades de todas as esferas providências e iniciativas, no tocante à segurança pública no nosso município.

Não se faz necessário nenhuma pesquisa ou outras informações para que seja atendida a minha solicitação, pois basta ouvir as vozes das esquinas do nosso município, sem falar na internet que nos trás a todos os momentos a verdade dos fatos, para constatar o caos. No trânsito, por exemplo, as motos infernizam a cidade, com motoristas sem habilitação, motos irregulares e roubadas, que já motivaram diversos acidentes, inclusive, com óbitos, conforme dados colhidos junto a Delegacia de Policia e Policia Militar desta cidade, que tentam, com os poucos recursos que possuem, falta de elementos humanos, armamento e viaturas combater estas irregularidades.

Se Maragogipe, antes já necessitava de uma melhor segurança pública, agora com o crescimento industrial de São Roque do Paraguaçu e demais investimentos programados para nossa cidade, agora, mais do que nunca, em vista do alto índice de crimes, principalmente aqueles ligados ao tráfico, carece hoje de um complexo de segurança mais completo, não podendo ter apenas uma delegacia que não oferece o mínimo de segurança, nem para a sociedade, nem para a própria polícia.

Nós necessitamos da construção de um grande complexo de segurança que possa comportar a parte técnica da Polícia Civil para que sejam realizados bons trabalhos durante os inquéritos e possa oferecer um espaço digno para a sociedade que busque a tutela do Estado. Da mesma forma uma companhia da Polícia Militar com número suficiente de homens, armamento e viaturas capazes de policiar todo o nosso município, sede, Distritos e Zona Rural.

Não podemos deixar de chamar a atenção que há aproximadamente 05 (cinco) anos atrás tivemos presente em Maragogipe, em uma reunião na Associação Atlética de Maragogipe, toda a cúpula da Segurança Pública do Estado que prometeu uma intervenção direta em Maragogipe, contudo, esta atitudes, nem nos papeis ficaram, ficaram sim, nos comes e bebes patrocinados pela Prefeitura Municipal naquela oportunidade.

Nós precisamos de uma Segurança Pública efetiva, com implantação de postos policiais em alguns Distritos, como o já existente em São Roque do Paraguaçu, contudo com maiores condições de funcionamento. Propomos a implantação de outros nas localidades de Nagé ou Coqueiros, Capanema ou Guapira. Uma comunicação mais efetiva entre a policia e a população com a instalação do sistema 190 de atendimento da polícia para melhor prestação do serviço. Aparelhamento da polícia com coletes e armas e implantação de uma unidade do IML em nosso município são outras propostas que aceitas pela secretaria podem trazer grandes benefícios para o nosso município.

Nós temos de dar uma resposta a sociedade Maragogipana e manifestar nosso repúdio, não só diante do aumento dos escândalos de corrupção que assola o País, com a malversação de recursos públicos, sem que os autores, em muitos casos, sejam responsabilizados pelos atos delituosos. Assim como, temos de agir de forma veemente contra o aumento da criminalidade em nosso município, mostrando a nossa insatisfação diante da falta de apoio do Governo Municipal, Estadual e até mesmo Federal, inclusive, diante da impunidade, o que estimula a ocorrência de fatos nocivos à sociedade de um modo geral.

Como é do conhecimento de todos, em Maragogipe e em quase todo o Brasil, criminalidade e corrupção andam irmanadas. E, aqui quero citar o Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Rondônia, Glomaron, Juscelino Moraes do Amaral, que no dia Dia Internacional Contra a Corrupção exaltou:

“À bem da verdade, a posição da Maçonaria é muito clara: “Precisamos, enquanto sociedade civil organizada, reagir contra o aumento da violência e a morte de pessoas inocentes, tratando com mais rigor a quem comete os delitos e punindo seus praticantes. Em uma cruzada nacional pela ética na política, sempre levamos e agora muito mais, o assunto para o interior, fazendo posicionamento de que os cidadãos eleitores devem constantemente estar com ações práticas e incisivas em suas áreas de influencia, com o grito de alerta: Basta de violência e Basta de Corrupção!”.

Finalmente o Grão Mestre do Glomaron conclama a população a cerrar fileiras contra todas as formas de corrupção, ativa e passiva. “Estamos, enquanto sociedade civil organizada, engajados sinceramente e comprometidos com aqueles que acreditam na mudança do tempo atual, para um tempo mais honesto perfeito e justo. É preciso uma mudança de mentalidade, em que as pessoas não aceitem passivamente a violência, e realmente lutem contra ela. Como sempre se comportou em todos os momentos decisivos do nosso País, é necessário que a sociedade através de suas entidades e instituições civis organizadas se una mais uma vez na busca pela construção de uma nova consciência, para assim, verdadeiramente atingirmos o objetivo comum que é viver em um mundo melhor, harmônico, tolerante, prudente, livre, igualitário, para nós e para as gerações futuras. Vamos, unidos, combater a violência e a corrupção”, insta Juscelino Amaral.

Em assim sendo, como lá, aqui, conclamo vocês meus irmãos a participarem efetivamente não só como maçons, mas, como pais e cidadãos desta luta contra a violência em Maragogipe, pois não podemos fechar os olhos para o que acontece em nossa terra, o que acontece em cada esquina de nosso quinhão natal e que infelizmente chega até a maioria dos nossos lares, pois, o índice de criminalidade registra aumento altamente progressivo e alarmante no nosso Município, colocando a população como refém da criminalidade, gerando forte e real impunidade.

Sendo repetitivo: “Basta de violência e Basta de Corrupção!””.

Comentários