Prefeitura de Maragogipe nega greve geral de servidores e diz que falta de segurança pública é em toda a Bahia

O Blog Primogênio Notícias entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Maragogipe que negou a existência de uma greve geral dos servidores públicos de Maragogipe. Confira a notícia:


MARAGOGIPE – Em assembleia realizada nessa sexta-feira, 04, organizada pela SIFUPREMA (Sindicato dos Servidores Públicos de Maragogipe), AGMEM (Associação dos Guardas Municipais e Escolares de Maragogipe), APMM (Associação dos Professores Municipais de Maragogipe), SINDACS/BA (Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde da Bahia), os servidores decidiram pela greve por tempo indeterminado.

De acordo com o Blog do Zevaldo Sousa, é a segunda greve por tempo indeterminado que o Governo Vera da Saúde estaria enfrentando e, um dos principais motivos, seria a falta de diálogo e transparência. Os servidores também acusam a gestão de perseguição aos funcionários públicos, cortes de salário e não cumprimento das metas estabelecidas pelo Ministério Público.

O Primogênio Notícias entrou em contato com a assessoria de comunicação da cidade, que negou a greve de servidores. “Todos os setores funcionaram nesta sexta (04) normalmente. Infelizmente as pessoas que estão a frente da movimentação que aconteceu são opositores políticos, eles articularam essa pauta sobre violência para aproveitar a situação e “simular” uma paralisação”, disse. A assessoria explicou ainda que o grupo foi menos da metade dos agentes comunitários o que, no entendimento da prefeitura, não caracteriza uma paralisação geral. “Todas as repartições estiveram abertas, atendendo ao público”, finalizou.

Segurança Pública
No último dia 31 de março, a população organizou uma manifestação cobrando providências das autoridades diante do atual cenário de violência na cidade. Em 2013, foram contabilizados pela Polícia Civil 15 assassinatos, já nos primeiros três meses de 2014, já foram 04 homicídios, em sua grande maioria, ligados ao tráfico de drogas. A prefeitura, por sua vez, diz que o problema da segurança pública está atingindo todos os municípios da Bahia. “Precisamos da ajuda do Governo do Estado para que essa problemática seja sanada.”, disse a assessoria. (Fonte: Primogênio Notícias)

Todavia é preciso ressaltar. Se a greve não existe, então porque os estudantes estão parados esperando a decisão dos servidores antes da Assembleia Geral acontecer, como na foto abaixo tirada por Francisco Gomes?


Entramos em contato com Mário Santos - presidente do SINDACS/Ba e o mesmo afirmou que mais de 70% da categoria está paralisada e que ele não é opositor político da prefeita, mas um agente comunitário eleito pela maioria como seu representante sindical.

Vale ressaltar que a pauta da violência é um assunto geral que afeta toda a sociedade maragogipe, baiana e brasileira, mas não podemos negar a omissão do órgão público municipal que não consegue sequer regularizar a guarda municipal. Como irá buscar melhorias para a segurança pública no nível estadual se não consegue arrumar a própria casa?

Aliás, a guarda municipal, assim como todos os servidores públicos municipais estão aguardando o atendimento de suas reivindicações visto que essa é a gestão do promete e não cumpre e ainda por cima, persegue aqueles que tentam cobrar o seu direito.

Senhora ilustríssima prefeita de Maragogipe - Vera Lúcia, toda a sociedade espera que a senhora atue como moderadora da situação e não como interventora.

Comentários