Falta de energia aumenta sensação de insegurança em Maragogipe; Comércio e escolas fecharam mais cedo neste dia 12 de maio

Por Zevaldo Sousa

A notícia de que oito presos fugiram de Maragogipe se espalhou pela mídia baiana com uma velocidade incrível. Atemorizada, a população não comenta sobre outro assunto na cidade. No vai e vem das ruas, retornamos para o mesmo ponto de partida - a fuga de presos, a insegurança, as mortes, a violência que tomou conta do município como nunca se viu na história local. A questão do tráfico de drogas e da guerra entre gangues está tirando o sono do maragogipano que estava acostumado a dormir tranquilamente.

Atualmente, assustado com tudo o que está se passando no município, o maragogipano teme e procura a segurança dos seus familiares no conforto dos seus lares. É triste, mas é o que podemos dizer, por enquanto...

É fato e notório que neste dia 12 de maio, devido o fato da cidade de Maragogipe ficar sem energia durante quase 4 horas de duração (o retorno aconteceu por volta das 18 horas), devido o medo causado pelos "boatos" que estão circulando com a velocidade da luz que não existiu na cidade nestas últimas horas, e devido o fato da população estar totalmente insegura diante das atrocidades e da falta de comando na cidade, comerciantes e escolas, instituições públicas e privadas fecharam mais cedo, antes mesmo do expediente se encerrar.

Por volta das 17 horas, os primeiros estabelecimentos da Rua Nova iniciaram a sua jornada. Os funcionários se dirigiram logo cedo para suas casas. Muitos foram buscar seus filhos nas escolas que fecharam cedo diante de tudo o que já foi relatado. 

Do que estamos falando?
Do sentimento de insegurança que é grande e está tomando conta da população. Para resolução deste problema demorará e muito, pois é preciso muita informação verdadeiramente processada na cabeça de milhares de pessoas, ou melhor, educação. Com uma dose paralela de combate efetivo. 

Do que estamos falando?
Da sensação de medo que é promovida pela violência propriamente dita, pela pouca quantidade de policiais nas ruas, pela velocidade com que a informação está se propagando e pela sensação de abandono que está impactando a cidade. 

E a falta de energia?
Foi apenas o estopim, para demonstrar o quanto que a população está amedrontada, assustada, tentando sobreviver na selva de pedra que está se tornando o município de Maragogipe por causa da vontade de ter, da ganância do crescimento e do desenvolvimento, da falta de planejamento.

Se alguma autoridade acreditar que está na hora de tomar sérias providências. Já vai tarde! As medidas já deviam ter sido tomadas antes de termos chegado à esse ponto. Por este motivo, sejam rápidos e eficientes. A população aguarda...

E questiono: Quando a Câmara de Vereadores vai tomar para si a responsabilidade de convocar a sociedade para um debate sério sobre a violência na busca de fórmulas e soluções? Estão esperando quem?

Comentários