Salvador, Maragogipe e Camaçari apresentam queda no saldo de empregos do mês de abril


A Bahia acumula um saldo de 15.089 novos postos de trabalho com carteira assinada no ano, de janeiro a abril, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged/MTE), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/Seplan). Com este resultado, a Bahia se consolida na liderança de geração de empregos no Nordeste, seguida pelo Ceará (+6.654 postos), Piauí (+5.433 postos), Rio Grande do Norte (+1.444 postos) e Sergipe (+1.439 postos). Os demais estados do Nordeste tiveram saldos negativos no ano: Alagoas (-26.646 postos), Pernambuco (-21.933 postos), Maranhão (-7.077 postos) e Paraíba (-2.090 postos).

No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, dos oito setores de atividade, cinco registram saldos positivos no estado. O setor com maior saldo acumulado foi Serviços (+10.495 postos), seguido pela Agropecuária (+3.798), pela Indústria da Transformação (+2.332 postos), Administração Pública (+689 postos) e Extrativa Mineral (+62 postos). Entre os setores que apresentaram saldos negativos, no acumulado do ano, está o setor de Comércio (-1.493 postos), Construção Civil (-465 postos) e, por fim, o setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública (-329 postos).

Em abril, a Bahia contabilizou um saldo de 882 postos de trabalho com carteira assinada, patamar inferior ao contabilizado em abril de 2013 (+10.186 postos) e ao mês de março de 2014 (+1.443 postos), incluindo as declarações fora do prazo. No país, foram gerados em abril 105.384 empregos formais no mês, sendo São Paulo o estado que mais gerou postos (44.374), ficando a Bahia na 13ª posição entre os estados com saldo positivo no mês em análise.

Na Região Nordeste, quatro dos nove estados apresentaram saldos positivos em abril. O estado desta região que gerou o maior saldo foi Ceará (+4.463 postos), seguido pelo Piauí (+ 2.983 postos), Bahia (+882 postos), Rio Grande do Norte (+482 postos). Entre os estados que geraram saldos negativos, Alagoas teve o menor saldo do mês (-12.321 postos), seguido de Pernambuco (-10.236 postos); Paraíba (-1.245 postos); Maranhão (-434 postos); e Sergipe (-366 postos).

Setorialmente, em abril, na Bahia, o setor com maior saldo positivo foi o de Agropecuária (+2.428 postos), seguido por Serviços (+1.279 postos) e pela Indústria de transformação (+182 postos). Em quarto lugar ficou o setor de Administração pública (+76 postos). Os setores que registraram saldos negativos foram: Construção civil (-2.502 postos), Comércio (-295 postos) Serviços Industriais de Utilidade Pública (-232 postos) e Extrativa mineral (-54 postos).

Análise RMS e Interior - Analisando os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos intraestadualmente em abril de 2014, constata-se que o resultado do emprego foi positivo no interior e negativo na RMS. De forma mais precisa, no interior foram criados 2.508 novos postos de trabalho, e na Região Metropolitana de Salvador foram destruídos 1.626 postos de trabalho.

Quanto ao saldo de emprego de janeiro a abril de 2014, enfatiza-se que a participação do interior do estado contribuiu com mais que o triplo da criação de postos de trabalho da RMS. Enquanto o interior criou 11.744 novos postos, a RMS criou 3.345 novos postos de trabalho com carteira assinada.

Em abril de 2014, Itamaraju, Medeiros Neto e Eunápolis se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia. Itamaraju registrou 705 novos postos de trabalho, Medeiros Neto gerou 642 postos e Eunápolis gerou 470 postos.

Entre os municípios que tiveram os menores saldos de empregos em abril de 2014, ressaltam-se: Salvador (-868 postos); Maragogipe (-564 postos) e Camaçari (-460 postos).

Fonte: Tribuna Feirense e Caged

Comentários