Esse é o quadro de momento (Por Aldo Sampaio)

Por Aldo Sampaio

Qual o desenho do quadro político que se traça hoje em Maragogipe? Quem perdeu, quem ganhou? Tínhamos a concepção de que a sobrevivência de determinados partidos, ou chefes políticos, dependeria e muito do resultado das eleições, principalmente, as de governador e presidente.

A vitória de Rui Costa nos parece já suficiente para acordar o PT do sono que lhe fazia dormir ainda abatido pela derrota sofrida em 2012. Despertado, qual rumo tomará sua militância sabendo que de um lado encontra-se Luiz Alberto que mesmo sem mandato é detentor da maioria no Diretório e do outro Ataliba que colocou seu nome a serviço do julgamento popular mesmo com sua candidatura sob-judicie e obteve 4045 votos e ainda transferiu para o seu federal 1847?

Pergunta-se então de que lado ficaria seus militantes e quem teria o apoio de Dilma e Rui? Cabe aos petistas responderem. O que sabemos é que existe nas entranhas desse partido uma chaga que continua aberta desde 2012 e que até hoje não conseguiram cicatrizar.

Já numa outra espiral navegam Adhemar, Arivaldo, Gabriel e Romário.

Adhemar, embora não tivesse conseguido para seu candidato a estadual uma votação expressiva, compensou dando uma melhor ao seu federal. Ambos estão eleitos o que provavelmente lhe dará o apoio necessário.

Arivaldo, não conseguiu repetir os feitos do passado apesar de ter sido de todos, o único a ter uma equipe ao seu lado e uma boa estrutura de trabalho, o que leva a crer que há uma clara demonstração de que nesse momento ele é uma liderança em declínio, fato constatado pela votação dada ao candidato Tato.

Gabriel e Romário mesmo já tendo sido dois líderes inquestionáveis, são hoje aos olhos do povo duas lâmpadas apagadas transformadas em cinzas que o tempo levou.

Enquanto isso, a prefeita Vera agradece ao povo pela votação alcançada pelos seus candidatos mesmo sem dispor de recursos, ao tempo em que segue liderando com folga impondo-lhes derrotas e pedindo a Deus que em 2016 os anjos digam amém.

Mas é essencial também e com consciência que damos destaque nesse comentário ao ex-candidato a vereador Juarez e ao vereador Fernandinho de São Roque. Ambos merecem destaque pelo poder de transparência de votos que demonstraram ter ao transferir para os seus candidatos a mesma votação que tiveram em 2012, traduzindo assim uma realidade como expressão de liderança política outorgada pelo povo nas suas bases eleitorais o que significa dizer que dois anos depois, elas continuam intactas e que certamente irá conduzi-los para dentro do palco das decisões.

Assim entendemos que dentro da ótica em que vemos o quadro que a política local vislumbra no momento, creditamos que em 2016 a campanha seja polarizada entre um candidato e a prefeita, caso ela venha a pleitear um novo mandato.

Por Aldo Sampaio

Comentários