Imprensa, redes sociais e boatos causam confusão na população. Polícia nega toque de recolher em Maragogipe

É um disse não me disse. É uma boataria triste. As redes sociais bombam notícias e denúncias não param de chegar através de telefonemas, postagens e mensagens. Mas, quem está falando a verdade?


Para o bom entendedor. Meia palavra basta ou apenas uma foto basta. Para reinar a tranquilidade, primeiro será preciso que os boateiros de plantão sejam combatidos. Tem muita gente que está se especializando em implantar o terror e fica metendo medo na população.

Uma coisa é certa. Por causa de toda esta confusão, comerciantes estão fechando suas lojas mais cedo. Escolas dispensam alunos e o município, aos poucos, paralisa como se tivesse recebendo uma injeção letal.

A polícia pode até negar o toque de recolher, mas nenhum ser racional vai querer testar com tanta notícia ruim sendo publicada na imprensa, nas redes sociais, nos telefonemas e mensagens enviadas por parentes e amigos.

O toque de recolher está sendo implantado pelo medo.


Veja como esta situação desconfortável está sendo tratada na internet.

A Rede Record publicou em seu site:


Já no Bocão News temos:


O jornal A Tarde publicou em seu site:


Vejam matéria:
A Polícia Civil de Maragojipe (a 133 km de Salvador), no Recôncavo baiano, negou que as ruas da cidade tenham sido alvo de tiros disparados por bandidos, desde a noite da última terça-feira, 14, como foi denunciado por moradores.Segundo afirmou o delegado titular da cidade, Adeilton Pereira, um suposto toque de recolher que teria sido ordenado por bandidos não está acontecendo."Isso é boato. Houve uma troca de tiros entre duas facções rivais após um homicídio, ocorrido semana passada e, a partir daí, os próprios bandidos estão usando as redes sociais para fazer ameaças entre as facções. Não há toque de recolher na cidade", garantiu o delegado.Mesmo assim, a cidade recebeu reforço de equipes do Pelotão Tático Operacional da 27ª Companhia Independente da Policia Militar (CIPM), de Cruz das Almas.Segundo o delegado, a polícia reforçou as equipes para intensificar os trabalhos de investigação e atuar em conjunto com a Polícia Militar, que também reforçou o efetivo no município."A briga maior é nas redes sociais. Eles ficam divulgando que vão invadir e, por precaução, reforçamos o policiamento", disse Pereira.Provável legenda: A cidade recebeu reforço de equipes do Pelotão Tático Operacional da 27ª CIPM do município de Cruz das Almas.

Comentários