No meu tempo de criança em Maragogipe, eu brincava sem medo de ser feliz. E no seu tempo?

Por Zevaldo Sousa

PROVOCAÇÕES À PARTE:

Hoje, resolvi falar um pouco da minha vida pessoal. Quebrar o gelo para demonstrar o quanto nós, maragogipanos, éramos felizes e não sabíamos.

No meu tempo de criança, brincava até umas horas da noite. Me divertia com amigos e amigas, sob olhares dos mais velhos. Jogávamos bola, brincávamos de pegar e esconder, inventávamos brincadeiras. Maragogipe era o palco principal de toda a nossa brincadeira. Corríamos por toda a cidade, quando estávamos felizes demais. E aqui, estou falando somente no período da noite. Coisa que no tempo atual, é muito difícil de acontecer.

Durante o dia, passeávamos muito no final de semana e nos feriados. Quando não estávamos estudando, passeávamos no Cai-já, na canoa, andávamos na lama para pegar mirim, caranguejo, siri, mariscos diversos. Era uma felicidade só. Hoje, até isso é muito difícil de acontecer...

E a bicicleta? Era nosso meio de transporte para longas distâncias. Nagé, Coqueiros, Ponta de Souza, sítios, cachoeiras e riachos diversos. O passeio era só alegria. Momentos de tensão, somente nas quedas com grandes arranhões e boca partida. O medo era maior quando tínhamos que amostrar o acontecido as nossas mães...

Tecnologia? A nossa tecnologia eram os nossos inventos. Fazíamos nossas próprias pipas, construíamos nossos carros com material reciclável, existia em Maragogipe até uma banda completa de lata - onde as descargas se transformavam em bombos, as latas de margarina em surdos, as tampas de panela em pratos e pequenas embalagens de metal em caixas. Naquele tempo, nossos neurônios trepidavam de alegria e nossos músculos não ficavam inertes sentados na frente da televisão e do computador.

Respeito e família andavam unidas. Respeitar os mais velhos era dever de qualquer criança. Se um adulto falasse que devíamos parar de fazer alguma coisa. Obedecíamos, e quando desejávamos muito continuar com a brincadeira, pedíamos permissão. Mas, mesmo com uma negativa, não ficávamos totalmente tristes. Criávamos logo uma nova brincadeira em outro lugar.

No meu tempo de criança em Maragogipe, a violência era quase zero. Quando acontecia algo, chocava toda a sociedade. Momentos de tensão e medo, somente com o lobisomem e o homem do facão (risos). Esses adultos e suas invencionices...

No meu tempo de criança, eu brincava sem medo de ser feliz, e você...

Comentários