Primeiro navio-sonda construído no pólo naval baiano fica pronto em 2016


Com 80% das obras já concluídas, a Enseada Indústria Naval é considerado o maior projeto privado da Bahia dos últimos 10 anos. Localizado às margens do Rio Paraguaçu, na Baía do Iguape, em Maragogipe, o empreendimento emprega cerca de 5 mil trabalhadores - 70% dos quais da região. Parte trabalha na linha de produção da Enseada e, a outra, no Consórcio Estaleiro Paraguaçu, responsável pelas obras. 6 dos 29 navios-sondas que serão utilizados pela Petrobras para exploração do pré-sal serão construídos em Maragogipe.

No dia 10 de outubro, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) concedeu a Licença de Operação (LO) à Enseada. Desde então, o empreendimento, que é formado por três grupos nacionais e um japonês, tem autorização para iniciar a produção.

Entre os equipamentos que estão sendo montados na Enseada se destaca o maior guindaste do Brasil, com 150 metros de altura, equivalente a um prédio de 50 andares.

Primeira encomenda

De acordo com o gerente de obras, Marcus Holanda, a primeira encomenda está prevista para ser entregue à Petrobras em julho de 2016.

O navio-sonda Ondina é o primeiro a ser construído. Os outros 5 navios – Pituba, Boipeba, Interlagos, Itapema e Comandatuba – estão programados para a entrega gradativa no decorrer dos próximos 5 anos. Segundo o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia, o estaleiro deve se tornar um dos maiores do Brasil.

Comentários