Pressionada, Prefeitura de Maragogipe emite nota de esclarecimento sobre 'emissário submarino'

As redes sociais estão demostrando a cada dia que passa o seu verdadeiro significado, o seu sentido revolucionário. Basta vermos como os órgãos públicos se sentem ao serem pressionados pelos cidadãos em rede social. A resposta precisa ser imediata, assim como as publicações são. Após uma série de questionamentos surgirem por causa da implantação do emissário submarino ser instalado no Cai-já, assessores da prefeitura de Maragogipe foram atrás das informações para esclarecer aos seus munícipes o que estava acontecendo.

Foto: Chiquinho de Maragogipe

Leia a nota na íntegra:
Nos últimos dias, a cidade de Maragogipe foi surpreendida com a colocação de uma tubulação no Rio Paraguaçu, mais precisamente na região do Cai-já.
Em contato com o gerente da Embasa, Wilson de Jesus, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Maragogipe, foi informada que os trabalhos estão sendo realizados pela construtora EMPRENGE, e que se trata da colocação de um ‘emissário subaquático’, que levará o esgoto já tratado, para ser despejado em local apropriado.
Segundo Wilson de Jesus, houve um estudo aprofundado a respeito do impacto ambiental na área de abrangência, e que foi levado ao crivo dos órgãos responsáveis, neste caso o INEMA (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e o ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), que concederam as autorizações necessárias para a implementação do sistema.
Em nota, a EMPRENGE informa que o principal objetivo da implantação do ‘emissário subaquático’, é a promoção de melhorias significativas para a população de Maragogipe, em especial para os moradores da região do bairro da Comissão, local onde funciona atualmente a estação de tratamento de esgoto, que será aterrada e desativada, dando espaço, por exemplo, para a construção de novos empreendimentos que irão beneficiar a população. Além disso, será implantada uma nova estação de tratamento, onde os índices de purificação do esgoto serão elevados à aproximadamente 95%, sendo que o restante das impurezas não afetará a biodiversidade do rio.
A EMPRENGE salienta ainda que a tubulação que está colocada provisoriamente no bairro do Cai-já, será removida nos próximos dias para local apropriado, a cerca de 6 metros de profundidade e ficarão imperceptíveis para a população.
As informações foram confirmadas pelo ICMBIO, através do analista de ambiente, Hélio Porto, que constatou que os trabalhos foram autorizados pela entidade, bem como pelo INEMA, após minucioso estudo realizado pelas instituições, que levaram em consideração a profundidade, os impactos na área, a biodiversidade e as correntes marinhas, que comprovaram os benefícios e a viabilidade do serviço. “Após a implantação definitiva do ‘emissário submarino’, a nossa equipe de profissionais estará monitorando constantemente a qualidade da água no local de despejo, como forma de fiscalizar e garantir a preservação da biodiversidade e evitar que aconteçam impactos negativos ao meio ambiente”, destacou Hélio Porto.
Fonte: Ascom / Maragogipe

Comentários