BNDES aprova recursos para tirar Sete Brasil da crise


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve assinar, na segunda, a contratação da operação de empréstimo à Sete Brasil, que tinha sido aprovada pelo banco há um ano. Segundo o Valor apurou, a contratação foi autorizada em reunião de diretoria recentemente. Os recursos devem ser repassados aos fornecedores para dar continuidade às obras das sondas encomendadas pela Petrobras.

Fontes a par das negociações não confirmam o valor que deve ser contratado. Em janeiro do ano passado, o BNDES aprovou financiamento de R$ 8,8 bilhões para a companhia. Mas isso não significa que todo esse volume será contratado de uma vez. O banco pode fazer diferentes contratos para liberar o total de recursos.

Segundo o site "Brasil Energia", a Sete Brasil deve receber US$ 3 bilhões do BNDES, além de US$ 2 bilhões da Caixa Econômica Federal e US$ 200 milhões de um banco britânico.

Procurado, o BNDES não se pronunciou. A Sete Brasil preferiu não se manifestar sobre o assunto. E a Caixa alegou sigilo bancário. O primeiro dos três empréstimos do BNDES para a Sete estava previsto para 2013, mas até então havia esbarrado na falta de entendimentos entre as partes sobre um contrato, o asset management agreement (AMA), para o uso das sondas que serão de propriedade da Sete.

Depois, apesar de aprovado em janeiro de 2014, o processo ficou parado em função da complexidade da operação. Em seguida sofreu novo atraso em decorrência da operação Lava-Jato.

O BNDES chegou a procurar a Advocacia Geral da União (AGU) para saber como deveria proceder em relação a pedidos de financiamento de empresas relacionadas - direta e indiretamente - com os escândalos de corrupção na Petrobras.

Enquanto os recursos, ou parte deles, não eram contratados, a Sete Brasil levantou créditos de curto prazo, mais caros, em bancos. Isso elevou o custo da operação e aumentou o endividamento da companhia. Em novembro, a Sete Brasil recebeu empréstimo de R$ 980 milhões da Caixa. Quitou dívidas e alguns custos operacionais, mas não as despesas de dezembro e, por isso, atrasou pagamentos a estaleiros.

A Sete Brasil tem contratos para construção de 29 sondas de perfuração com cinco estaleiros: Atlântico Sul (EAS), Brasfels, Jurong Aracruz, Enseada Indústria Naval e Estaleiro Rio Grande.

Fonte: Valor Econômico via Jornal Portuário

Comentários