Junior Brasil escreve sobre tristeza do povo maragogipano e atual situação do Polo Naval

Atualmente em São Roque do Paraguaçu – Maragogipe – Bahia, os trabalhadores que ajudaram a consolidar os 5.059.228 milhões de votos dos Baianos que tiveram uma grande influência na vitória presidencial, sentem-se traídos. Nós, baianos, confiamos e achamos que 2015 entraríamos com mudanças, mas mudanças de novas vidas, novos projetos, novos empregos. No entanto, foi tudo diferente. Tivemos sim mudanças, mas essas foram negativas. Entre elas, novas leis trabalhistas que a presidenta afirmou antes da reeleição que não modificaria e estão sofrendo transformações desfavoráveis aos trabalhadores. Tivemos também mudanças nos empregos com o escândalo da Petrobras na Operação Lava Jato, onde perdemos o direito de trabalhar e com milhares de demissões nos grandes empreendimentos do Nordeste dos trabalhadores que ajudaram a alavancar a vitória da presidenta.

Nas últimas semanas o Estaleiro Enseada Indústria Naval demitiu mais de 1.000 trabalhadores diretos, fora os indiretos. Tudo isso sobre o reflexo da corrupção da Petrobras, esquecendo que este Estaleiro criou expectativas de mudanças na região e que trouxe sonhos que esses escândalos nos tiraram, nos apunhalando pelas costas ao deixar muitos trabalhadores desempregados. Votei na presidenta não pelo PT, te apoiei não pelo PT, mas por Lula que ressuscitou as obras das indústrias navais para a Bahia e para o Brasil.

Acreditamos que a vitória seria pra mudar, mas não para trazer tristeza para o povo Maragogipano, Baiano e Brasileiro. Vocês mesmo construíram e vocês mesmos estão destruindo. Nossa Bahia está ficando desmoralizada.

Bernardo Júnior Brasil, trabalhador metalúrgico baiano, 19 anos atuando na área e funcionário do EEP.

Fonte: Força Sindical

Comentários