O que Maragogipe está fazendo em defesa do seu maior empreendimento?

Por Zevaldo Sousa

Quem me conhece sabe qual foi a minha opinião no processo de instalação do Polo Naval em Maragogipe. Acompanhei de perto todas as audiências públicas e sempre deixei o meu recado contra a instalação do empreendimento. Acredito que minha voz, em conjunto com milhares de outras vozes, contribuíram para o processo de fiscalização e de transparência na instalação deste empreendimento que é, inegavelmente, o maior já instalado em Maragogipe.

Apesar da minha opinião continuar a mesma, vejo tudo com outros olhos, afinal de contas, a sociedade faz suas escolhas e nós devemos acolher. Mesmo indo de encontro com nossos ideais, precisamos saber refletir sobre o momento para tentar avaliar todas as opções que temos e formular uma solução para tentar resolver toda esta crise. Pois não queremos ter mais um elefante branco instalado no município, já basta a Suerdieck que durante o século XX foi a nossa maior industria e hoje só resta ruínas, lembranças e muitas histórias.

Hoje, vejo muitas famílias de Maragogipe e das cidades vizinhas da Enseada Industria Naval entristecidas com toda esta crise que se instalou na industria naval brasileira. Por isso, afirmo o quão é inegável a importância do Estaleiro tanto para a comunidade maragogipana como para a economia brasileira. 

É certo que, durante estes últimos anos, com a implantação do estaleiro, Maragogipe colheu impactos positivos como as oportunidades de geração de emprego, melhoria na qualidade da mão de obra com diversos cursos, aumento da renda circulante no município, fortalecimento do comércio local com a ampliação da rede de fornecedores e de serviços.

Também é certo que nestes últimos anos, impactos negativos também foram gerados, pois com o crescimento da economia, em conjunto com outros fatores sociais, como o desemprego, a má qualidade de ensino e educação, percebemos o crescimento da violência e do clima de insegurança que está rondando toda a Bahia.

Não posso negar, na semana passada fui provocado a refletir sobre tudo o que está acontecendo no nosso maior empreendimento e na vida econômica do município de Maragogipe, sobre as atuais demissões antecipadas ao prazo previsto no início do projeto de construção, sobre o desaquecimento da economia, sobre a queda no fluxo de vendas do comércio local, sobre a onda de violência que assola nosso recôncavo e com a ociosidade da nossa juventude, carente de oportunidades, sobre a permanência do estaleiro que tornou-se vital para o desenvolvimento econômico da região, e por fim, e não menos importante, sobre o papel dos agentes políticos e da sociedade neste processo de discussão.

Acredito em um propósito em tudo que passamos. O que vejo é o sofrimento em cada rosto daqueles que enxergavam na construção do Estaleiro uma oportunidade de emprego, de superação de desafios, de qualidade de vida. Percebo, o desânimo e falta de perspectivas no futuro melhor. A crise na Petrobras por motivos políticos escusos abalou, mais uma vez, o sonho daqueles que desejavam um trabalho digno e de qualidade. A população sempre sofre.

Não basta apenas que sindicalistas e trabalhadores façam mobilizações e passeatas, é preciso que cada ator social entenda o seu papel e cobre ações do executivo municipal, estadual e federal. O que nossos representantes estão fazendo para mudar esta situação? Está faltando transparência nas decisões e ações do executivo, assim como dos nossos legisladores.

E já que estamos falando dos nossos legisladores, é preciso cobrar uma ação mais efetiva com o intuito de criar condições favoráveis para a atrair investimentos - uma política de incentivos fiscais -, além de garantir a permanência de empresas na cidade. Lembro que no final do ano passado, publicamos no Blog sobre o cancelamento da redução do ISS e os impactos negativos que a população poderia colher com esta péssima decisão.

O que faltou para nossos vereadores? Consultoria? Avaliar as conjunturas nacionais? Ler jornais? Buscar entendimento sobre a situação? Questões infinitas. A operação Lava Jato foi deflagada no início do ano de 2014, os vereadores tomaram esta decisão no final do ano.

O que vamos fazer para mudar esta situação? Vamos refletir?

E vale ressaltar. Este tema ainda não se esgotou. Temos muito para comentar.

Comentários