Encomendas de sondas do pré-sal podem ser cortadas pela metade


A Petrobrás pode cortar pela metade a encomenda de 28 sondas para o pré-sal feita à Sete Brasil, que contratou cinco estaleiros para produzir os equipamentos. A informação foi veiculada pela Estadão Conteúdo. Não foi informado em que situação ficariam as seis sondas em produção no estaleiro Enseada Industria Naval, em Maragogipe, no Recôncavo Baiano.

A Sete Brasil deve R$ 2 bilhões aos cinco estaleiros. Uma reunião para destravar os financiamentos a esta empresa – em dificuldade para captar por causa das investigações do Pré-Sal. O assunto foi tema de uma reunião entre a presidente da República, Dilma Rousseff, o presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine, e os gestores do Banco do Brasil, Alexandre Abreu, e do BNDES, Luciano Coutinho.

O dinheiro para destravar a Sete viria do BNDES, mas estão sendo negociadas ainda cláusulas de salvaguarda e blindagem. O banco exige, por exemplo, uma fiança bancária de R$ 1,5 bilhão.

A Petrobrás, que enfrenta – em menor grau – dificuldades de caixa detém 5% das ações da Sete Brasil. E participa também do fundo que administra os outros 95%. O controlador tem participação dos fundos Petros, Funcef, Previ e Vilia, os bancos BTG Pontual, Bradesco e Santander, EIG, Strong, o FI-FGTS e os investidores Luci Drilling e Lakeshore Partners. Com informações do Estadão.

Comentários