Professores estaduais param nos dias 24 e 30 de abril por reajuste salarial


Contrário à proposta do governo baiano de conceder aos servidores um reajuste de 6,41% parcelado em duas vezes, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB Sindicato) reafirmou nesta terça-feira, 21, que os professores da rede estadual realizarão duas paralisações, nos dias 24 e 30 de abril.

A diretora jurídica da APLB, Marilene Betros, disse que o sindicato até aceita a reposição da inflação, mas não quer o parcelamento, como aconteceu em anos anteriores. "Nossa posição é a do reajuste integral. Queremos sentar com o governo para discutir", declarou Marilene.

A proposta do governo - aceita por representantes de 13 sindicatos em plenária da Associação dos Funcionários Públicos do Estado (Afpeb) e Federação dos Trabalhadores Públicos da Bahia (Fetrab) - é pagar a o reajuste em duas parcelas (3,5% retroativos a março e 2,91% em novembro).

Segundo Marilene, o dia 24 de abril marca o aniversário da APLB. Já no dia 30, está prevista uma paralisação nacional, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Fonte: A Tarde

Comentários