Bahia: SSP questiona Mapa da Violência 2015 e diz ser ‘inviável’ a comparação entre estados


A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) entende como “inviável” a comparação feita entre estados pelo Mapa da Violência 2015, divulgado na última quinta-feira (14) pelo governo federal em parceria com a Unesco. A equipe de reportagem do Bahia Notícias tentou contato com o secretário Maurício Barbosa, mas a assessoria do titular da pasta explicou que Barbosa não comenta o mapa, porque cada estado tem uma metodologia para apurar seus dados, logo, o mapa não seria real. A SSP se posicionou por meio de nota, reforçando o silêncio. “A forma de anotação dos homicídios é um exemplo disso. Enquanto a SSP-BA define, inicialmente, qualquer morte com sinais de violência como homicídio, outras unidades federativas somente assim classificam quando estas ocorrências policiais já foram investigadas e estão elucidadas, contabilizando a grande parte dos registros como ‘morte a esclarecer’”, diz o texto da nota. Conforme apontado pelo Mapa da Violência 2015, a Bahia subiu 11 posições em dez anos e é o 4º estado mais violento do país. O levantamento indica também 22 municípios baianos entre as 100 cidades com maior número de homicídios para cada 100 mil habitantes. Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, lidera o ranking e tem a taxa de mortalidade semelhante às taxas registradas em zonas de guerra – mais de 300 por 100 mil habitantes. O levantamento foi feito com base em dados de 2012.

Comentários