8 de maio não é a data da emancipação política de Maragogipe

Por Aldo Sampaio

Sabemos perfeitamente assim como sabem todos que dedicam suas vidas as letras, que por desconhecer a história, principalmente, a história da sua terra, comete-se erros imperdoáveis por se adotar uma cultura de baixa qualidade o que torna o município aviltado e desonrado por ignorância exclusiva de quem não soube ou não sabe transmitir a geração presente para que esta deixe o legado às gerações futuras para que se tenha conhecimento da origem e do passado de um povo como o maragogipano que tanto orgulho e glória nos deu.

Recentemente, se fez circular pelas ruas da cidade um carro de publicidade em que a Câmara de Vereadores ao reproduzir a ignorância, convidava o povo à participar das festas em comemoração a Emancipação Política de Maragogipe. Segundo o convite, 8 de maio.

Esta publicidade mentirosa e inescrupulosa já impregnada na deseducação, conta com a contribuição e respaldo dos poderes competentes o que chega a causar constrangimento em quem tem pelo menos consciência básica do que ler e do que ouve.

Se deprimente é, triste e vergonhoso mais ainda quando se chega na Praça da Matriz e ver na porta da Casa da Cultura a palavra Maragogipe escrita errada.

Já dissemos em outros comentários que Maragogipe é escrito com G o que torna-se desnecessário outra explicação.

Sua Emancipação Política se deu em 09 de fevereiro de 1725, por uma Provisão Régia ao atingir o status de Vila.

Em virtude de uma seca que devastava a Bahia no início do ano de 1724, o Conde de Sabugosa, 4º Vice-Rei à época, fez uma viagem de inspeção pelo interior do Estado da Bahia. Ao chegar a essa Freguesia (note-se que Maragogipe era uma Freguesia), seus habitantes solicitaram sua elevação à vila no que foram atendidos pelo Conde.

Por sua ordem, é criada a Vila de Maragogipe com território desmembrado de Jaguaripe.

08 de maio de 1850 foi quando a Vila conseguiu ser elevada a categoria de cidade através da Lei Provincial nº 389 em virtude da sua importante participação para consolidação da Independência do Brasil.

Portanto, é preciso que se tenha consciência que a história não pode viver distante do nosso dia-a-dia nem nos pareça inútil quando sabemos que as civilizações do passado desapareceram em lutas fervorosas em prol da nossa liberdade.

Os maragogipanos que viveram no passado construíram a nossa História para que hoje soubéssemos contar. 

Foi essa civilização que nos legou crença, conceitos e valores morais.

Comentários