Maragogipe no Aprovado: Série Recôncavo on the Road mostra encantos da região


Uma nova série de reportagens começa a ser exibida neste sábado no Programa Aprovado. Pablo Vasconcelos e sua equipe embarcaram numa viagem, por uma das regiões culturalmente mais ricas da Bahia e mostram o que há de melhor na cultura, natureza e tradições populares. “Recôncavo On the road” traz o trabalho das rendeiras e a força das manifestações culturais de Saubara; a tradicional feira livre e as casas de farinha de Santo Antônio de Jesus; e neste sábado você já fica por dentro da importância do manguezal para o meio ambiente e um projeto que atua na preservação dessa vegetação no município de Maragogipe.


O Aprovado deste sábado, 11, estreia a série Recôncavo on the Road, que traz o melhor da cultura, natureza e tradições populares de uma das regiões culturalmente mais ricas da Bahia. É de lá, da Fazenda Engenho d’Água, em São Francisco do Conde, que Jackson Costa apresenta o programa e dimensiona a importância da região.

“Essa fazenda serviu de hospital para os doentes e feridos na luta da Independência da Bahia. Foi uma importante base de apoio”, conta o proprietário, Mario Ribeiro. O historiador Rodrigo Lopes contextualiza o Recôncavo ao falar de delimitação geográfica, importância histórica e colonização.

O repórter Pablo Vasconcelos caiu na estrada e revela, no primeiro episódio da série, a importância do manguezal para o meio ambiente e um projeto que atua na preservação desse ecossistema no município de Maragogipe. A próxima parada será o trabalho das rendeiras e a força das manifestações culturais de Saubara.

O Conexão Bahia vai até a cidade de Juazeiro, na região Norte do estado, para conhecer um aplicativo que atua na prevenção e tratamento de pessoas com Alzheimer. O projeto foi desenvolvido na Universidade Federal do Vale do São Francisco e tem alcançado bons resultados entre idosos que utilizam o aplicativo.

No quadro Em Off, a história de Mãe Stella de Oxóssi: “O idoso tem a obrigação de ser sábio. Já vivi 90 anos, então tenho que saber alguma coisa sobre a vida”, diz a ialorixá, que entre muitos títulos, é imortal da Academia de Letras da Bahia. É sábado, às 8h.

Comentários