Enseada Industria Naval participa da Marintec South America 2015


Humberto Rangel, diretor de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Enseada Indústria Naval, será um dos palestrantes da 12ª Marintec South America–Navalshore. O evento, que debaterá as novas demandas do setor offshore após a divulgação do Plano de Negócios da Petrobras 2015-2019, acontecerá entre os dias 11 e 13 de agosto, no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

O representante da Enseada ministrará palestra, em 12/08, às 14h, sobre os impactos da crise no setor naval, conteúdo local e visão de futuro. Humberto Rangel apresentará um panorama da indústria naval brasileira, desde a sua retomada com descoberta do pré-sal e a mobilização do Governo Federal até a atual crise de liquidez com interrupção dos pagamentos, dificuldade na obtenção dos financiamentos aprovados, indefinição sobre solidez das encomendas e preço do óleo. O diretor da Enseada concluirá sua apresentação com apontamentos sobre o futuro do setor e horizonte de novas encomendas e mercados.

O painel sobre inovação e futuro da indústria marítima também contará com a participação da Enseada. Na quinta-feira, 13/08, às 14h, o vice-presidente de operações, Guilherme Guaragna, fará a abertura de uma das mesas de debates. Na ocasião, Guaragna discursará sobre o desenvolvimento e transferência de tecnologia para indústria naval e offshore no Brasil.

Sobre a Enseada
A Enseada Indústria Naval atua na construção e integração de unidades offshore, como plataformas, FPSOs e sondas de perfuração. Com 1,6 milhão de metros quadrados de área em Maragogipe, dos quais 400 mil destinados à preservação ambiental, a Enseada já é considerada um dos maiores empreendimentos do país.Os investimentos que estão sendo feitos pela empresa na Bahia são da ordem de R$ 3,2 bilhões e sua carteira de clientes tem a Sete Brasil, com um contrato de US$ 4,8 bilhões, e a Petrobras, com um contrato de US$ 1,7 bilhão. Quando estiver operando a plena capacidade, o empreendimento poderá processar inicialmente 72 mil toneladas de aço por ano, construindo navios de alta especialização que poderão ser fabricados, simultaneamente, gerando 12 mil empregos diretos e indiretos com significativo percentual de mão-de-obra local.No Rio de Janeiro, a Enseada atua no Estaleiro Inhaúma, que foi arrendado pela Petrobras em razão do contrato para conversão dos cascos de quatro navios tipo VLCC nas plataformas P-74, P-75, P-76 e P-77.

Fonte: Enseada Indústria Naval
Gerência de Comunicação Externa

Comentários