Após greve, bancos reabriram em Salvador e parte da Bahia nesta terça-feira


Os bancários da Bahia e na maior parte do país retornam ao trabalho nesta terça-feira (27), após o fim da greve da categoria, que durou 21 dias. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores de Ramo Financeiro (Confraf), 60% das agências estavam paradas em todo o Brasil desde o dia 6 de outubro.

A maior parte dos bancários, em assembleias na noite de ontem, aceitou o acordo proposto pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que ofereceu reajuste de 10% sobre os salários, a participação nos lucros e resultados (PLR) e o piso da categoria. Também foi proposto um reajuste de 14% para os vales-refeição e alimentação. A assembleia do Sindicato dos Bancários da Bahia começou por volta das 18h30, no ginásio dos bancários, no Largo dos Aflitos.

Apesar da decisão, em algumas regiões, os bancos públicos decidiram manter a paralisação. Em nota divulgada ontem (26), o Sindicato dos Bancários de Itabuna e região informou que os funcionários do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNB decidiram rejeitar proposta e continuar em greve.

Em Feira de Santana, os mesmos três bancos continuam parados. Os trabalhadores dos estados de Mato Grosso e de Roraima também decidiram continuar em greve. De acordo com a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira, com esse índice, em 12 anos, será possível acumular 20,83% de ganho real nos salários e 42,3% nos pisos.

Para ela, esta paralisação “foi uma das mais fortes dos últimos anos e a conquista foi consequência da nossa luta e mobilização”. Os bancos aceitaram abonar parte das horas não cumpridas durante a greve e os funcionários vão trabalhar uma hora a mais até o dia 15 de dezembro.

Fonte: Correio da Bahia

Comentários