Quando os professores maragogipanos serão valorizados e respeitados?

Parabéns professor pelo seu dia e luta diária em prol da educação.

Este dia 15 de outubro - Dia do Professor -, poderia ser um dia de alegria para todos os professores do município de Maragogipe, mas a realidade é outra. Acompanho a luta incansável da Associação dos Professores do Município de Maragogipe (APMM) e do Sindicato dos Funcionários da Prefeitura de Maragogipe (SIFUPREMA), e de vários professores municipais que lutam por melhorias para a categoria, por valorização dos professores, por qualificação e por atenção especial por esta área que constrói as bases mais sólidas para o desenvolvimento de uma sociedade plena e justa. 

Não existe nenhuma outra profissão no mundo sem o professor. Que hoje em dia tem papel cada vez mais importante nesta sociedade carente de atenção, onde a violência impera e muitas famílias estão sem orientação, cabe a todos os profissionais e em especial, ao professor, também servir como educador. A tarefa é árdua e o dia a dia fatigante. 

Mas tudo isso é recompensado quando encontramos alunos que trilharam um caminho de sucesso profissional, ou constituíram sua família com qualidade, ou apenas curtem a vida com respeito ao próximo. É um momento especial quando nossos alunos se tornam professores sérios e comprometidos com a causa.

Todavia, questionamos: Quando os professores maragogipanos serão valorizados e respeitados? 

A pergunta é simples de ser respondida por aqueles que são comprometidos com a causa da educação. Que realmente luta por direitos e cumpre seus deveres dentro da sala de aula. É uma questão de respeito com a educação, com nossos alunos e com o município.

Agora, para quem não conhece essa realidade e não deseja ampliar seu leque de conhecimento, nem de humanidade, talvez, essa pergunta seja um pouco difícil de ser respondida, principalmente, em uma cidade que professores são perseguidos e tem seus salários cortados sem justificativa cabível. O que espera o futuro desta cidade?

Quando penso na luta destes profissionais lembro de uma foto e de um termo de conciliação.

Na minha humilde opinião. Esta foto é marcante, pois nela encontramos a atuação expressiva da juíza de direito Ana Lúcia Ferreira de Souza que quando estava presente no município, pelo menos, a população tinha a quem recorrer. Hoje, aguardamos ansiosamente a presença de um novo juiz pois do jeito que está, nada irá caminhar. Enquanto isso, o servidor público municipal sofre junto com a população maragogipana.

Esta foto é marcante, pois me faz lembrar de uma audiência conciliatória entre a Prefeitura de Maragogipe e os Sindicatos e Associações que haviam deflagado greve, junto com os servidores, devido a falta de negociação entre as partes, no início do ano de 2013 e no dia 26 de abril, no Fórum Professor Raul Chaves assinaram um Termo de Conciliação que em parte foi resolvido.

Não postar o termo na íntegra, mas vou citar as partes que nos interessa neste texto e são relativas a educação.


Termo de Audiência

d) fica ajustado a elaboração de um Plano de Cargos e Salários para os Servidores Públicos do Município de Maragogipe, cujo projeto final deverá ser apresentado para discussão até agosto de 2013. A elaboração do Projeto em questão será conjunta entre Sindicatos e Município, sendo que os Sindicatos entregarão ao Município suas propostas reivindicantes até junho/2013, sendo que as categorias e o ente municipal realizarão reuniões sucessivas para as tratativas da elaboração do Projeto;
k) o Município compromete-se a conceder aumento na verba de regência recebida pelos servidores da educação, sendo que o percentual deste reajuste, por depender de estudo de impacto e viabilidade, será proposto para negociação junto à categoria até o final de agosto de 2013;
l) o Município concorda com o pedido de pagamento de metade do auxílio no custeio de graduação aos professores, estando em estudo a possibilidade de estender à pós-graduações, cuja definição constará do projeto do Plano de Cargos e Salários;
m) fica ajustado que a gestão escolar no Município será definida por meio de eleições, sendo que a negociação para instalação de uma comissão para a discussão das normas reguladoras da matéria será iniciada em julho entre Secretaria de Educação e o órgão de representação dos servidores da educação;
n) o Município, os servidores da educação e a guarda escolar unirão esforços no sentido de promoverem qualificação e estruturação da segurança nas escolas, podendo os interessados diretos apresentarem propostas de solução do problema para avaliação de implantação pelo Município, o qual também diligenciará no sentido de resolver o problema de segurança e depreciação do patrimônio escolar;

Uma rápida opinião:
A população e os servidores públicos do município aguardam ansiosamente pela valorização, qualificação e pelo respeito aos professores. A comunidade escolar precisa eleger seus representantes e há necessidade urgente de união entre os diversos servidores públicos em prol de uma cultura municipal de educação.

Mas para que tudo isso possa acontecer há necessidade de gestão democrática, transparência e comprometimento com o município e a educação.

Comentários