Alberto Pereira lança livro "Maragogipe - cantada em verso e prosa"

Lúcido e hígido do alto dos seus 85 anos, o policial civil aposentado Alberto Pereira “Tales” confessou que o lançamento do livro que escreveu, “Maragogipe – Cantada em Verso e Prova”, no último sábado, foi o momento mais feliz de sua longa vida. Ele concorda com o aforismo sobre a inexistência da felicidade, substituída por momentos felizes, e emocionado quase às lágrimas agradeceu a Assembleia Legislativa pela edição do trabalho que consumiu quase cinco anos de sua vida em pesquisa, escrita e revisão.


O presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo, prestigiou o evento ocorrido no salão do Maragogipe Hotel, que congraçou amigos, secretários municipais, vereadores, funcionários municipais e do estado, autoridades locais e familiares do autor. No rápido pronunciamento que fez, registrou a importância que confere ao programa editorial da Assembleia, “o legado maior que deixarei para a Bahia e os baianos em minha passagem pelo prestigioso cargo de presidente do Poder Legislativo de nossa terra”.

Ele agradeceu o empenho do advogado Albenzio Pereira, ex-procurador geral do município, por ter possibilitado que a Assembleia tomasse conhecimento do singular trabalho de seu pai, possibilitando a publicação ora lançada. Agradeceu ainda a presença do ex-prefeito Sílvio Ataliba e das autoridades locais, juiz de direito, médicos, responsáveis pelas polícias civil e militar, vereadores e outras autoridades e foi terno com o longevo escritor: “Sei do amor, das horas perdidas, do trabalho e sofrimento que o senhor passou para concluir esse trabalho e quero dizer ao senhor, “seo Tales” que valeu a pena. E acrescento quer é um privilégio participar desse momento de felicidade do senhor e dos seus”.

O deputado Marcelo Nilo lembrou que “Maragogipe – Cantada em Verso e Prova” é o 163º livro editado em sua gestão (média de dois lançamentos a cada mês) e a consciência que tem do esforço realizado pelo senhor Alberto Pereira de Souza Tales para pesquisar e escrever sobre sua gente e sua terra: “Senhor Alberto Tales tenha a certeza de que todos nós passaremos, mas a história de sua vida, de sua terra e dos personagens descritos pelo senhor nesse livro vão sobreviver e daqui há um ou dois séculos pesquisadores, curiosos e os jovens que se interessarem pela história dessa terra terão graças a este trabalho onde buscar informações históricas.

O deputado Marcelo Nilo disse ainda que o resgate de obras fora dos catálogos das editoras comerciais (muitas há décadas sem reedições), o resgate de vultos históricos de nossa terra e o fomento ao trabalho de novos escritores são os três objetivos principais do programa Assembleia Cultural e citou livros de elevado teor histórico e literário resgatados, como Cascalho, de Herberto Sales cuja última edição era dos anos 40.

Falou da coleção Gente da Bahia que resgata vultos da baianidade, de Jorge Calmon e Simões Filho, ao alfaiate Spinelli, ao capoeirista Mestre Pastinha até a doce louca que perambulava na rua Chile, a Mulher de Roxo. Esta coleção já tem 45 perfis biográficos lançados, mas o parlamentar lembrou também a publicação de biografias (como a de Rui Barbosa, escrita pelo senador Luís Viana Filho), e a existência de um selo exclusivo para o fenômeno cangaço.

MOTIVAÇÃO
O autor, Alberto Pereira “Tales”, contendo a emoção contou da motivação que teve para escrever. Ele apresentou muitos dos personagens de seu livro que estavam presentes e agradeceu ao deputado Ronaldo Carletto, que se interessou pela publicação e encaminhou o trabalho para exame do programa editorial da Assembleia, bem como aos filhos, Albenzio e Adriana, que trabalharam na revisão e ao designer Ubirajara Paim, responsável pela edição e elaboração da capa, e ao professor Délio Pinheiro, assessor para Assuntos de Cultura do Legislativo que trabalhou no livro e compareceu ao lançamento.

Fonte: ALBA e fotos de Adriana Carvalho

Comentários