Governo do Estado lança campanha "Machismo mata" com a saudosa maragogipana Rita de Cassia Medina


Rita de Cássia Medina da Silva, 45 anos, maragogipana. Uma pessoa alegre, batalhadora e divertida. Conviveu 23 anos com o seu algoz. O relacionamento nunca foi bom. Ele sempre batia e ameaçava. Várias vezes, ela foi parar no hospital, devido às agressões físicas do companheiro. Chegaram a se separar algumas vezes, mas acabavam voltando. 

Além da violência contra Rita, Priscila, a filha do casal de 20 anos, começou a ser vítima das agressões e abusos do pai. Em mais uma noite de violência da família, a situação chegou ao limite. Após esfaquear Rita, o pai foi atrás da filha e aferiu seis facadas nela diante dos vizinhos. Esteve foragido por um tempo, porém, hoje, está preso, condenado a 44 anos de prisão. 

Marli, irmã e tia das vítimas, declara: “Eu não posso entender que essa violência aconteceu porque Rita quis ou porque Rita deixou. Essa violência aconteceu porque ele, o agressor, foi o responsável. E porque, atrás dele, alguém deixou de trabalhar essa agressividade desde pequeno. Então, como pedagoga que sou, cristã que sou, acredito que a gente precisa reeducar as nossas crianças, os nossos homens e as nossas mulheres. Os homens: para eles se tornarem mais afetuosos, desenvolverem mais a afetividade. E as mulheres: para empoderá-las mais e para que saibam que elas não precisam ficar submetidas a esse tipo de violência."

Comentários