Será o Bolsa Família Municipal uma prática eleitoreira?

Por Zevaldo Sousa

A partir deste mês de dezembro de 2015, a Prefeitura de Maragogipe resolveu implantar o Bolsa Família Municipal. Uma lei que foi aprovada pela Câmara de Vereadores em 2013, mas que está sendo colocada em prática a menos de um ano do período eleitoral depois de todo desgaste que a atual gestão sofre e continua sofrendo devido ao sofrimento que causou a população maragogipana nos últimos anos.


Nós sabemos que muitas famílias em Maragogipe ainda necessitam deste auxílio. O programa Bolsa Família Municipal é legítimo e precisa ser implementado, com certas restrições e condicionalidades. Todavia, gostaria de salientar que a Câmara de Vereadores precisa ser mais atuante e mais transparente, pois este é um programa que deveria ter sido discutido com toda a população. Ser representante da população não dar o direito de aprovar qualquer tipo de lei sem prévia discussão em Audiência Pública (Aliás, sinto falta de Audiências Públicas - Falta vereador atuante que chame a população para o debate). A população precisa estar ciente e a Câmara de Vereadores não é transparente e por este motivo, centenas de pessoas ficaram surpresas com a aprovação desta lei.

Sim, ficaram surpresas porque a Câmara precisa de um jornal, de uma rádio interna, de um site na internet, precisa de uma equipe de comunicação da Casa Legislativa que não esteja atrelada a nenhum político, que seja independente como a comunicação da Câmara dos Deputados Federais.

Hoje, nas redes sociais, todos fazem questão em admitir que o Bolsa Família Municipal passou a ser uma questão eleitoreira, pois a prefeita estava em queda vertiginosa na opinião popular, e agora, ela está começando a trazer benesses para a população com um tom enganatório. Sendo assim, fico a me perguntar: Será o Bolsa Família Municipal uma prática eleitoreira? Será que o povo está certo?

Comentários