Direção do PCdoB garante candidatura de Alice “mesmo que sem aliados”


As direções estadual e municipal do PCdoB se reuniram, nesta terça-feira (19/01), para avaliar o quadro da disputa eleitoral em Salvador, a principal aposta do partido no estado, nas eleições deste ano. A avaliação dos dirigentes foi de que as condições são favoráveis para uma candidatura comunista na capital e que, sendo assim, é preciso levar o projeto até o fim, mesmo na hipótese de não haver adesão de outras forças políticas.

“A candidatura está consolidada no cenário político. Não deve haver dúvida de que nosso projeto para Salvador tem plenas condições de obter êxito e aglutinar amplos setores da população, no decorrer da campanha. Faremos todos os esforços para que tenhamos uma ampla aliança, mas se, ao final do processo, não for possível, levaremos a candidatura, mesmo que sem aliados”, defendeu Daniel Almeida, presidente estadual do partido.

O nome já definido para a disputa é o da deputada federal Alice Portugal. Para ela, em que pese um quadro nacional adverso, é possível o PCdoB construir uma alternativa de esquerda na capital, “capaz de enfrentar um modelo de gestão elitista e autoritário”. A pré-candidata anunciou, ainda, a realização de contatos com uma série de partidos políticos, tendo como objetivo construir uma aliança em torno do projeto, algo considerado por ela como fundamental para a viabilização da candidatura.

Atualmente no Legislativo federal, com cadeira na Câmara dos Deputados, Alice disse estar otimista com a possibilidade de migrar para o Executivo. “Estou disposta e entusiasmada com a ideia de ser candidata e pronta para encarar o desafio. Vamos para a campanha com nossa aguerrida militância e amplos setores da cidade interessados em uma gestão democrática, com foco no social”, afirmou a pré-candidata.

Olívia Santana, a presidenta do Comitê Municipal em Salvador, comemorou a decisão de seguir com a candidatura. “O PCdoB está tendo, finalmente, uma atitude ousada, uma decisão mais arrojada de apresentar uma candidatura, sem possibilidade de retorno, com o partido pronto e unificado para fazer a campanha”. Para ela, é preciso oferecer alternativas de nomes ao povo, além das tradicionais.

“Alice representa o que podemos considerar como novidade na disputa: uma mulher oriunda das lutas do povo da cidade. Já fizemos o nosso processo interno, nossa conferência girou em torno de nosso projeto, vencemos as etapas até agora da pré-campanha e vamos preparar um programa de gestão. Temos condições de colocar o partido em outro patamar na cidade com sabedoria e criatividade”, finalizou Olívia.

Além de Salvador, outras quatro grandes cidades terão candidaturas comunistas: Vitória da Conquista (sudoeste), Juazeiro (norte), Barreiras (oeste) e Itabuna (sul). A meta do PCdoB na Bahia é de lançar, pelo menos, 100 candidaturas majoritárias no estado, nas eleições deste ano, principalmente nos municípios com mais de 100 mil habitantes.

Assessoria de Comunicação do PCdoB-Bahia

Comentários