O jovem Eduardo Souza desabafa... Maragogipe falta tudo


Por Eduardo Souza - Presidente da UJS ( União da Juventude Socialista) de Maragogipe

Nunca vi uma administração tão fracassada quanto a atual de Maragogipe. A gestora, que antes era caracterizada por operosa, vem destruindo tudo que os gestores que antecederam construíram a favor do desenvolvimento e do bem estar social do povo maragogipano.

Analiso o desempenho da prefeita Vera da Saúde, popularmente e carinhosamente conhecida pela população maragogipana, a frente do governo municipal, como um verdadeiro fracasso. Destaco a falta de planejamento em obras públicas, a falta de políticas públicas de inclusão social voltadas a juventude, desorganização administrativa, inoperância nas áreas de saúde (falta medicamentos nos postos de saúde), falta de segurança, falta de saneamento básico, a perseguição por parte da gestão aos servidores públicos, descaso na área da educação e muito mais em vários setores como a infraestrutura, cultura, esporte, ação social, dentre outras. A atual gestora está completamente perdida e desnorteada no trato da coisa pública.

Onde estão os calçamentos que iriam iniciar assim que a prefeita assumisse a cadeira? Onde está o acabamento da instituição infantil que está localizada atrás do posto Maria Preta, que foi uma obra iniciada na gestão passada?

E onde já se viu a cada reforma (pintura e troca de pisos) de uma instituição haver reinauguração? Onde já se viu exposição de fotografia do gestor nas instituições? Onde já se viu gestor municipal ir de escola em escola entregando mochila e fardamento, além de questionar as crianças: Quem deu essas fardas a vocês? E as crianças respondem: A professora!! E a gestora diz: Não, não foi a professora: Foi a prefeita! Onde já se viu um gestor não dialogar com seus servidores?

No início da administração, os maragogipanos criaram grandes expectativas na área da saúde, pois era o estilo da prefeita. No entanto, ao passar mais de ano, a cidade entrou num verdadeiro descaso. São obras paralisadas, outras inacabadas e promessas de campanha não concretizadas. Esse quadro é de frustração vivido pelo povo maragogipano, o que é totalmente desanimador, servidores perseguidos, as festas populares que eram foco de atenção dos visitantes enfraquecidas; descumprimento dos direitos dos servidores (professores sendo perseguidos). 

De acordo relato uma professora que chegou a pedir ajuda para não passar fome, por conta que seu salário foi cortado de forma grotesca, devido haver uma paralisação. Segundo o relator foi uma paralisação legal, ainda com todo embasamento jurídico, a gestora desconsiderou e cortou o salário de todos os professores que participaram do movimento desconsideradamente. Fizeram os professores chorar, sofrer!

Finalizo dizendo que é preciso que a política local conceba um novo nome, uma nova metodologia e ideologia, que venha a inovar e direcionar Maragogipe ao caminho que ela merece estar.

Por: Eduardo Souza

Comentários