Tenente Suzart desabafa em áudio do WhatsApp contra morte de policiais


Tem gerado grande repercussão nas redes sociais por Santo Antônio de Jesus e região, um áudio repassado via WhatsApp onde um homem se identifica como o Tenente Suzart da 27ª Companhia Independente da Polícia Militar sediada na cidade de Cruz das Almas faz declarações de orgulho por estar no posto de comando do Pelotão de Emprego Tático Operacional (PETO), bem como elogios aos policiais que trabalham nesse setor relatando que a guarnição dá ‘tesão’ a qualquer comandante e também um desabafo com respeito à situação enfrentada por muitos policiais no Estado da Bahia que acabam sendo vitimados em confronto. Ainda no áudio o suposto policial diz ser anormal policiais serem baleados e normal é bandido morrer, além disso salienta a necessidade de descarregar as armas na cabeça ou no peito dos criminosos.

Leia o desabafo na íntegra:

“Quero aqui de público, pode passar esse áudio para a Bahia toda e para o Brasil, externar o prazer que é comandar uma tropa como é a do Pelotão de Emprego Tático Operacional, popularmente chamada na região do recôncavo como Tático Móvel da 27ª. Essas guarnições, esse pelotão dá tesão a qualquer comandante sair por aí dizendo ‘eu comando o Tático Móvel’, é o orgulho da 27ª, é orgulho do recôncavo, é orgulho da Bahia comandar esse pelotão. Avante Guerreiros! Botou de frente, tá armado, levantou a arma, apontou, pau, pau e pau, descarrega tudo, depois a gente briga com o subtenente Erivelton e bota os cartuchos no lugar, porque ele fica ‘retado’ quando a gente gasta, mas é pra gastar mesmo e a partir de agora gastar botando no peito ou na cabeça, puxou a arma, atirou na gente é pau, arranca a cabeça. Deixa Ministério Público reclamar, deixa para o Juiz reclamar, deixa todo mundo reclamar, deixa a imprensa reclamar, mas nós não podemos é perder policiais mais, não podemos mais de maneira nenhuma, é anormal um policial ser baleado gente, pelo amor de Deus é anormal! O Ministério Público precisa entender isso, o Poder Judiciário tem que entender, é anormal eu sair para trabalhar, vocês saírem para trabalhar e nossas esposas, nossas famílias receberem a gente numa caixa de madeira, é anormal isso! Normal tem que ser o bandido morrer e não um policial, que se lasque todo mundo que não gostou do que eu estou falando. Quem está falando aqui e o tenente Suzart a dispor de quem quiser achar ruim”.


Redação: Voz da Bahia - Samile Macedo

Comentários