Apesar da superlotação, a "escola tem carteira suficiente para atender os estudantes", afirma diretora

Em conversa com a professora e diretora do Escola Municipalizada Luis Eduardo Magalhães, Zélia Nascimento, a mesma relatou havia uma divergência nos dados relatados na última matéria sobre o sistema educacional que postamos aqui neste Blog.

Segundo a professora, na Escola Municipalizada Luis Eduardo Magalhães existem carteiras suficientes para atender toda a demanda do colégio, valendo ressaltar que a escola havia recebido carteiras desde a Semana Pedagógica.

A professora salientou que na escola existe um sério problema de carteiras quebradas pelos próprios alunos e que a equipe diretiva e pedagógica da escola está sempre disposta a resolver tanto este como outros problemas. A diretora também relatou que existe um problema na ventilação, mas está resolvendo esta situação.

Sobre o caso da superlotação, a diretora relatou que apenas continuou com a demanda estabelecida no último ano, pelo antigo diretor. Disse que recebeu ofício da APMM, e que foi conversar com a presidente Lilian Denise, explicando o que estava ocorrendo e ainda afirmou que, devido ao seu pulso firme e vontade de fazer uma educação melhor acontecer, mesmo as salas superlotadas, ainda tem pais que desejam matricular seu filho na escola.

DO BLOG:
Soube que após matéria publicada, várias pessoas pressionaram a direção da escola, mas não foi essa a intenção da matéria relatada. A nossa intenção é pressionar a Prefeita de Maragogipe, em especial, a Secretaria de Educação (citada na matéria) a se posicionar em favor da Educação Municipal. Na matéria salientávamos que a Direção da Escola era sensível ao caso e que estava tomando as devidas providências.

O nosso debate gira em torno da superlotação das escolas municipais que já denunciamos desde 2014 e que este cenário precisa ser mudado urgentemente, pois em uma sala superlotada, nem aluno aprende, nem professor ensina. 

Continuo a afirmar que precisamos rever nosso SISTEMA EDUCACIONAL, e para isso, há necessidade de promover a integração das áreas de risco e melhorar o acesso tanto dos estudantes quanto dos serviços públicos nestas áreas. Uma das escolas que mais perdem estudantes anualmente é o Colégio Polivalente de Maragogipe, que sofre diversos problemas na sua manutenção. Ou ofertamos ensino de qualidade as nossas crianças e jovens ou continuaremos perdendo estes jovens para o tráfico.

Agradecemos a professora Zélia Nascimento pelos esclarecimentos.

Comentários