Maragogipe: Interdição da Travessa Capitão Mor já dura quatro meses


Em Maragogipe, a crise no comércio local é inegável. Ao contrário da "crise" que dizem que se encontra uma das prefeituras que mais arrecada no Recôncavo. Vários fatores concorreram para o enfraquecimento do comércio: 
  1. O excesso de nomeações de funcionários forasteiros na Prefeitura de Maragogipe que acabam levando para outros municípios boa parte do dinheiro que poderia esquentar o comércio local; 
  2. Contratações de empresas forasteiras para a realização de obras públicas, vale ressaltar que muitas destas empresas praticaram irregularidades, como foi o caso da empresa Ferreira Lima que não cumpria a legislação trabalhista e que foi denunciada pelo SINTEPAV.
  3. Operação Lava Jato e crise no Estaleiro Enseada do Paraguaçu por causa da perda do seu principal cliente - a Sete Brasil, e com isso, vários postos de trabalho deixaram de existir impactando diretamente no comércio local;
  4. Projeto de recapeamento asfáltico das principais vias do comércio da cidade de Maragogipe, e obra paralisada antes mesmo de sua conclusão, gerando desconforto no comércio local, inclusive, obrigando os comerciantes a limparem a rua devido o acúmulo de poeira e sujeira.
  5. Dentre outros...
Para complicar essa situação, já dura quatro meses que a Travessa Capitão Mor está interditada. Desde o mês de outubro, quando o terreno cedeu por causa do peso de uma caçamba carregada com areia que passava pelo local.

Quando a Prefeitura de Maragogipe vai tomar uma atitude para resolver este problema?



Comentários