São Roque do Paraguaçu: Plataformas enferrujadas e pesca ameaçada


Nesta semana, fui em São Roque do Paraguaçu e não vou mentir. Uma frase e estas imagens me comoveram.

A imagem retrata três plataformas da Petrobrás que questão encostadas e paralisadas no Canteiro de Obras de São Roque do Paraguaçu: P-1, a P-10 e a P-26. Além destas, mais algumas outras menores e privadas. O comovente nestas imagens é que nada pode ser feito, nem manutenção. Elas estão simplesmente paradas corroendo com a ação do tempo e esta situação está 'matando aos poucos' o sanroquense, especialista na construção, que deseja trabalhar e não pode.


Neste mesmo dia, ouvi uma frase que me comoveu ainda mais. Uma marisqueira acabou reclamando desta triste situação. Não podemos trabalhar, nem muito menos pescar. Com a destruição do manguezal para a instalação do Estaleiro, existem poucas áreas reprodutivas e com isso, peixes e mariscos estão desaparecendo. Como podemos alimentar nossos filhos? Como podemos alimentar nossa família?

Na reunião realizada no dia 24 de fevereiro, também foi citado o caso do Coral-Sol, conhecido como Coral Assassino, que está destruindo os corais nativos, esta é mais uma preocupação dos pescadores e marisqueiras da região.

A população de São Roque quer atenção das autoridades públicas. Há necessidade de compreensão acerca desta situação. O distrito de Maragogipe está entristecido e sem rendimentos. Até o supermercado ao céu aberto - o manguezal - está enfraquecido com tantas ações destruidoras. Devemos repensar com urgência nossa atual situação.

Comentários