Mercadante diz que não há base legal para impeachment de Dilma

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse que reconhecer o resultado da eleição é fundamental para a democracia. Wilson Dias/Agência Brasil 

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, voltou a defender hoje (28) que não há base constitucional para o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. "Votar para presidente, eleger, perder eleição, perdi várias, ganhamos algumas, reconhecer o resultado da eleição é fundamental para a democracia. É fundamental para o país se desenvolver e eu não vejo nenhum caminho promissor fora desse. E impeachment [seria] sem base constitucional, sem base legal, sem que seja claramente demonstrado", disse.

Em coletiva de imprensa, em que apresentou os dados do Censo Escolar de 2015, Mercadante foi perguntado sobre o que achava da declaração do líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), de que o vice-presidente Michel Temer estaria no comando do "golpe".

"Meu compromisso é com a democracia, com a qualidade da educação. Aqui no MEC [Ministério da Educação] eu só trato desse assunto", disse. "Não sei que governo teremos pela frente, espero que seja sempre um governo democrático, que respeite o resultado das eleições, as normas constitucionais, que o Brasil preserve esses valores. Para minha geração foi um sacrifício muito grande construir a democracia".

Mais recursos

Mercadante também disse ser favorável a criação de um imposto ou contribuição que seja destinado à educação. "Eu sou totalmente favorável que se tivesse um esfoço do Brasil para melhorar a situação fiscal vinculada à saúde e à educação. Se eu estivesse no Congresso, minha votação seria favorável e eu lutaria por isso", disse. "O Brasil precisa fazer um esforço para melhorar as condições dos professores e da saúde pública".

Edição: Fábio Massalli
Fonte: Agência Brasil de Notícias

Comentários