A feira da pouca vergonha (Por Aldo Sampaio)

Por Aldo Sampaio

A feira da pouca vergonha instalada no palácio do planalto está abastecida, aquecida, aviltada e desonrada de tantos produtos podres (diga – se deputados) sendo trocados ou vendidos como prenda em leilão.

Uma feira infectada pelo vírus da corrupção e da falta de vergonha de quem se vende em fim de feira quando o preço fica mais barato.

A cada dia que passa o governo revela sua verdadeira face que chega a causar nojo em quem tem pelo menos consciência e responsabilidade, ainda mais quando vê a corrupção contar com a contribuição de salafrários revestidos de boa aparência.

Mas, com 82% de reprovação não há dúvidas de que o governo está isolado, agonizando nos estertores do planalto lutando desesperadamente ao sentir se aproximar nuvens negras prenunciando o crepúsculo de um ciclo não duradouro que envergonhou o mundo quando exposta foi a maior podridão já registrada em toda história da República.

A presidenta Dilma pela conveniência levou o país a essa situação devido também a sua trajetória política ter sido sempre enveredada por trilhas tortuosas marcadas pela intolerância, arrogância e pela falta de comprometimento com a nação e até mesmo com seus próprios companheiros.

Foram tantos crimes cometidos nesta nação que as autoridades não tiveram outra alternativa senão investigar e colocar na cadeia todos os criminosos, ação que foi denominada pelo governo de golpe.

Os crimes cometidos pela Presidenta são também chamados pelos governistas de golpe.

Por força então de uma publicidade mentirosa e inescrupulosa, propaga – se a falsa idéia que vão acabar com a democracia o que encontrou respaldo nos mercenários que de uma forma ou de outra sustentam essa baixeza.

Golpe foi esse aplicado pelo governo que implicou em mais de 10 milhões de desemprego vejamos:
  1. RODIA - fecha fábrica em Jacareí – SP e demite 129 funcionários;
  2. ALCOA – fecha fábrica de alumínio no Maranhão;
  3. AMPLIMATIC – fecha fábrica de componentes eletrônicos encerra suas atividades;
  4. SOUZA CRUZ – fecha fábrica no Rio Grande do Sul;
  5. DAKO - encerra suas atividades no país;
  6. MABE - multinacional Mexicana fecha duas fábricas uma Campinas e outra em Hortolândia - SP;
  7. WALMART – fecha 60 lojas no Brasil;
  8. BOTICÁRIO – fecha 10 lojas no vale do aço e cem funcionários demitidos;
  9. LOJAS LEADER – pedem falência de 90 lojas no país e encerra suas atividades.
  10. 100 mil lojas foram fechadas em 2015 em todo país.
  11. Já são mais de três mil firmas também fechadas até agora no país.

Como se não bastasse o representante de uma classe de trabalhadores em um comício dentro do palácio na frente da Presidenta ameaçou invadir gabinetes, casas e fazendas caso o impeachment passe na câmara.

Diante de um quadro tão lastimável como o que assistimos hoje no país só podemos dizer que esbarramos diante de espetáculo de calamidade que se entrelaça e se constitui na pior vergonha para a consciência humana.

Aldo Sampaio

Comentários