Maragogipe terá sinal analógico de televisão desligado em 26 de julho de 2017

Governo divulgou lista de cidades que terão sinal analógico desligado em 2017 e Maragogipe terá sinal analógico de televisão desligado em 26 de julho de 2017.

A relação de todos os municípios que terão o sinal analógico de televisão desligado em 2017 e receberão somente o sinal analógico foi divulgada hoje (28) pelo Ministério das Comunicações. A maior parte das cidades fica em São Paulo, mas também há desligamentos previstos nos estados de Goiás, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

O cronograma do desligamento do sinal analógico nas principais regiões do país tinha sido divulgada no início do ano e a portaria publicada hoje detalha as cidades que serão afetadas no entorno dessas localidades.

Digitalização em 2016

Em outubro deste ano, o sinal analógico será desligado em Brasília e nas cidades do entorno (Cristalina, Luziânia, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás, Cidade Ocidental, Novo Gama, Formosa, Águas Lindas de Goiás e Planaltina). No ano que vem, será a vez de todas as capitais da Região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória), além de Goiânia, Salvador, Recife e Fortaleza e outras cidades do estado de São Paulo e da Região Nordeste. O sinal analógico já foi desligado em Rio Verde (GO).

Antes do desligamento do sinal analógico, as cidades passam por pesquisas que apuram o alcance do sinal digital. As famílias beneficiárias do programa Bolsa Família recebem gratuitamente conversores de sinal para que mesmo os televisores antigos possam receber a programação na nova tecnologia.

Data do desligamento: 26/07/2017:

Agrupamento: Salvador/BA Municípios do estado da Bahia: Aratuípe, Cairu, Camaçari, Candeias, Dias D'Ávila, Itaparica, Jaguaripe, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Maragogipe, Nazaré, Salinas da Margarida, Salvador, Santo Amaro, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Saubara, Simões Filho, Terra Nova e Vera Cruz.

Veja a lista completa na Agência Brasil de Notícias

Comentários