Carta Aberta de Crispim Quirino à comunidade maragogipana

CARTA ABERTA DO ESCRITOR E POETA BRASILEIRO “CRISPIM QUIRINO” AOS MARAGOGIPANOS NATURAIS

Senhora prefeita Vera Lúcia Maria dos Santos, sou um escritor da paz e cidadão do mundo, por isso, não aceito e nem sou a favor de quaisquer tipo de violência, seja ela física, moral ou etc. Reconheço a sua posição de gestora, mas não posso aceitar a inibição, a mentira, a violência e o medo que tentam a mim dirigir. NUNCA AGREDIR A SENHORA E SUA FAMÍLIA, e não tenho porque, já que a muito a senhora dependeu do aconchego do ex-vereador e meu pai Carlos Dias Quirino que tanto lhe apoiou em nossa casa – coisa que eu nunca quis por lhe entender idiossincramente; porém, só não posso entender que é normal o seu filhinho mimado querer me agredir. Digo-lhe em público que a oposição política saudável deve ser compreendida e existente num estado democrático de direito e não a perseguição e coação. O MEU VOTO DOU A QUEM BEM EU ENTENDER E CERTAMENTE NÃO É A SENHORA O POSSUIDOR DELE. SOU LIVRE E INDEPENDENTE. VOTO EM QUEM EU QUERO. Impedir o acesso de um escritor ou quaisquer pessoas aos estabelecimentos públicos é um CRIME, o que seu filho Vitor Paz fez. Se eu fosse um poeta da guerra não estaria escrevendo esse fato, e nem tampouco deixado com que ele agisse como agiu. “Poderia” lhe agredir, como legítima defesa, e “não” o fiz. Convocando a LEI a meu favor. Diga a seu filho e lhe ensine os bons modos, sobretudo da política, em que os bons costumes e as boas práticas da LIBERDADE, FRATERNIDADE E IGUALDADE sejam a ele repassadas e praticadas como devem ser em nosso Ocidente, como sabedoria política, o que me parece esse FORASTEIRO NÃO TEM E NEM SEQUER APRENDEU.

Senhoras e senhores, segundo o Dicionário Moderno da Língua Portuguesa, base de nossa orientação linguística brasileira, diz que: “Forasteiro, adj. e s. m. Que, ou o que é de fora; estrangeiro; peregrino; alheio”. E mais: “Natural, adj. 2 gên. Que se refere ou pertence à natureza; conforme à natureza ou por ela produzido”. É por essa distinção entre aquele que NASCEU E SEMPRE VIVEU E VIVE O SENTIMENTO DE SER MARAGOGIPE, e aquele que NADA TEM COM NOSSAS RAÍZES E TRADIÇÕES, como é o caso da Prefeita Municipal e seu filho Vitor Paz, portanto, nem sendo sangue dos FILHOS DA PÁTRIA QUERIDA, TERRA BENDITA QUE NOS VIU NASCER, E SÓ POR ELA IREMOS À LUTA, BEM RESOLUTO LUTAR E VENCER, e nem tampouco do que é ser Magagogipano, filhos e filhas de nascimento e fundação, que faço uma pausa à nossa Cidade: olhemos bem de agora em diante àqueles que devem merecer um título de Cidadão Maragogipano. – Títulos dessa monta não se dão como se fossem bulas de remédios ou ofícios de gabinetes. Pensemos nisso com PATRIOTISMO que nos requer o Hino de nossa Patriótica Cidade de Maragogipe. Um título de cidadão concedido a quaisquer pessoas (DE FORA), assim como os de nascença, NÃO CREDIBILIZA O FILHO DA GESTORA ATUAL VERA LÚCIA MARIA DOS SANTOS A QUERER AGREDIR E INTIMIDAR O POETA E OS FILHOS DESSA TERRA DAS PALMEIRAS. Nem ele e nem ninguém tem esse direito. Cercear a liberdade de voz e ir e vir do cidadão é uma afronta a Constituição Brasileira e fere todos os regimentos constitucionais dos DIREITOS HUMANOS, já que se trata não apenas da vida de uma pessoa, mas os meios pelos quais esse cidadão deve viver, agir e existir. – O poder não está acimas das instituições e nem dos direitos dos cidadãos que pagam seus impostos para que a prefeita e seus funcionários trabalhem pelo bem comum. O que não está ocorrendo: primeiro com uma dívida que a gestora adquiriu em comprar 240 exemplares do livro “Petróleo, navio e gás” do escritor e não querer pagar, segundo, porque o seu filho me agrediu. Agressão é crime e não pagar é dívida; segundo o Dicionário supracitado diz que: “AGREDIR, v. t. Bater em; acometer; provocar; assaltar”. E mais: “CALOTE, s. m. – Fam. Dívida que se deixou de pagar ou que se contraiu com intenção de não pagar”.Com isso a gestora e seu filho não estão acima da lei e nem da língua. Devem ser cobrados. E dar exemplo a/e de família...

Baseado nisso prestei uma queixa na Delegacia local para resguardar a minha INTEGRIDADE DE SER FILHO LEGÍTIMO DE MARAGOGIPE E NÃO UM AVENTUREIRO QUE PASSA UNS DIAS NA CIDADE E LOGO VAI EMBORA LEVANDO NOSSA CIDADANIA A CUSTO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DA PREFEITURA. NÓS MARAGOGIPANOS NÃO PODEMOS SER MAIS BOBOS E OTÁRIOS APOIANDO ESSES TIPOS DE PESSOAS EM NOSSAS TERRAS... FORA VERA!!! FORA VITOR!!!

Com isso, deixo ao conhecimento de TODOS OS MARAGOGIPANOS NATURAIS de que o que acontecer com o escritor e poeta Quirino, que não tem desavença alguma com ninguém, a culpada é a gestora, seu filho e daqueles que não aceitam a OPOSIÇÃO SAUDÁVEL, RESPEITÁVEL E NATURAL DOS FILHOS DE BRAÇOS INVENCÍVEIS. QUE NADA NOS LEVA JAMAIS A RECUAR, POIS NOSSO PEITO É GRANDE COMO O MAR, PODE CONTER NOSSO BRASIL GIGANTE, CADA VEZ, CADA VEZ MAIS TRIUNFANTE...

Senhoras e senhores, quando uma pessoa agride um poeta e escritor, essa pessoa está agredindo toda a humanidade, sobretudo, essa humanidade mais justa, alegre, viva e livre... Não devemos aceitar isso como algo normal. Assim fizeram os Ditadores em 1964 quando do GOLPE MILITAR no Brasil e assim, aqui em Maragogipe, querem fazer com o escritor e poeta do Brasil. Nunca mais, nunca mais o despotismo regerá nossa nação, com TIRANOS não combinam brasileiros, brasileiros corações. Viva a Liberdade! Abaixo a Ditadura Democrática disfarçada de República!!! Pessoas assim, nossa gente brasileira, não devemos esquecer nunca e ficarmos sempre de olhos abertos denunciando a todas as esferas da JUSTIÇA as suas máscaras e armaduras para que caiam nos braços da Lei...

Relato o exposto acima, porque em pleno ANIVERSÁRIO DA CIDADE, no dia 8 de maio de 2016, dentro da Sessão Solene da Câmara Municipal de Vereadores de Maragogipe, esse forasteiro (peregrino e alheio a nós) do mimadinho da Prefeita me agrediu, verbalmente e fisicamente: me tombando, me empurrando e me xingando dentro da Câmara. O que acabo de prestar uma queixa formal contra esse rapaz. Ele acha que é quem pra agredir as pessoas, só porque é filhinho da prefeita? Nem ele e nem ninguém pode proibir o acesso de alguém onde quer que seja. Quanto mais ele filho de uma pessoa pública. Todos sabem de minha pessoa, e sabem que não tenho e nem procuro briga com NENHUM FILHO DESSA TERRA QUE É IGUAL A MIM. A minha condição de pessoa humana, universal, poeta, pai de família, escritor, professor, ativista cultural, teatrólogo, ambientalista, enfim, não me permite tais discrepâncias. SOU UM ESCRITOR E POETA DA PAZ e não um queridinho da mamãe que acha que pode tudo. Sou filho de carpinteiro e manicure e nem por isso me vejo na condição, de simples pessoa, agredir as outras. TENHO ORGULHO DE MINHAS RAÍZES. Formado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, com muitos esforços e poucos recursos, escritor parabenizado pela RAINHA DA INGLATERRA, coordenador de dois cursos pré-vestibulares: Raízes Negras do Recôncavo e Atitude Quilombola, voluntário social, melhor poeta do certame acadêmico, reconhecido pela Universidade da Alemanha em Antologia Poética publicado pela UFRB, enfim, pessoa do povo, não devo porque temer quem sequer conhece a HISTÓRIA DE NOSSA TERRA. Escrevo sobre o passado, o presente e o futuro de Maragogipe, e quem são eles? Aproveitadores de nossa terra. Apenas administradores que tentam denegrir a imagem do ARTISTA DO POVO. Esse povo da Bahia...

MARAGOGIPE NÃO APOIA QUEM PERSEGUE SEUS FILHOS E ARTISTAS!!! VIVA A DEMOCRACIA!!! ABAIXO A DITADURA DEMOCRÁTICA DISFARÇADA DE REPÚBLICA!!! VIVA A POESIA!

Crispim Quirino – Natural da Cidade Patriótica, escritor e poeta.
Maragogipe, 09 de maio de 2016.

Comentários