Greve dos servidores públicos de Maragogipe terá início no dia 14 de maio com manifestação na cidade


Os servidores públicos de Maragogipe resolveram entrar em greve por tempo indeterminado a partir do próximo dia 14 de maio, sábado, conforme edital publicado no jornal A Tarde e com uma manifestação na cidade, onde a gestão até o presente momento insiste em oferecer 0% de reajuste para 2016, sem contar que a prefeitura não vem cumprindo a lei nº 11.738, de 16/7/2008, dos professores em relação ao Piso Salarial Profissional Nacional.

Todos devem ser valorizados, tanto nomeados, quanto concursados, Não é justo 100% de gratificação para uns e 0% para outros" afirmou Mario de Dezinho (presidente do Sifuprema).

Lílian Denise (presidente da APMM - Associação dos Professores Municipais de Maragogipe), ressalta que os direitos básicos dos servidores não estão sendo respeitados nessa gestão, como: O enquadramento, mudanças de níveis, liberação de licenças, retroativo do piso nacional dos agentes comunitários e de combate as endemias, reposição financeiras dos descontos indevidos da ultima greve.

Já Enádio Careca (diretor da Força Sindical no estado da Bahia), disse que quando se esgota todas as possibilidades de diálogo, e a gestão continua oferecendo 0% de aumento, os trabalhadores não têm outra alternativa senão usar o instrumento de luta que é a greve amparada na lei 7.783 de 28 de Junho de 89, “Chega de miséria e de humilhação, os servidores de Maragogipe, merecem reajuste digno e valorização”.

A prefeitura ficou de apresentar o balanço financeiro do primeiro quadrimestre hoje, no 10 de maio, mas encaminhou um oficio informando que não teve tempo suficiente para elaboração da peça, e solicitou que o Sifuprema, a APMM e a Força Sindical realizassem outra assembleia no dia 13 de maio, próxima sexta-feira, para realizar a apresentação financeira do município. Os trabalhadores aceitaram, mediante a liberação de todos os servidores para participarem, esperamos que a prefeita apresente uma proposta de reajuste nesse dia que antecede a greve, finalizou Dércio Lima Agente de Combate ás Endemias.


Quem também participou dando apoio jurídico para a segurança dos servidores foi o advogado Dr. André Bomfim.

Fonte: Enadio Careca

Comentários