Marisqueiras recebem equipamentos para implantação do cultivo de ostras em Capanema e Baixão do Guaí


Marisqueiras recebem doação de equipamentos para viabilizar a implantação do cultivo de ostras nas comunidades de Capanema e Baixão do Guaí

A Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA) realizará amanhã (18), às 14h, a entrega de equipamentos para as mulheres marisqueiras das comunidades de Capanema e Baixão do Guaí, localizadas no município de Maragogipe. Ato acontecerá na comunidade de Capanema.

A ação, que visa viabilizar a implantação do cultivo de ostras através do uso dos equipamentos cedidos para as mulheres marisqueiras, tem como principal objetivo gerar uma alternativa econômica viável para as famílias de marisqueiras da região, as quais são afetadas pela atual escassez dos estoques de ostras e lambretas no estuário da reserva.

Além da doação dos equipamentos, através de recurso do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (FUNCEP) e diálogo com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (SDR/CAR), a SPM-BA elaborou um Plano de Formação Continuada, que tem como proposta a capacitação das marisqueiras, promovendo transformação política, econômica e social para estas mulheres, além de lançar e fortalecer as bases de uma sociedade equânime.

Esta ação faz parte do Projeto de Ostreicultura, desenvolvido nas comunidades de Capanema e Baixão do Guaí, em parceria com a Fundação Vovó do Mangue, a Rare Brasil e a Reserva Extrativista Marinha Baía do Iguape/ICMBio.

Enfrentamento à Violência

Também no dia 18 de maio, haverá atendimento para as mulheres locais, com a Unidade Móvel do projeto “Mulher, Viver sem Violência”, que é fruto de uma parceria entre o Governo da Bahia e o Governo Federal.

As atividades incluem uma Roda de Diálogo, que trata de temas como a violência de gênero, os tipos de violência, os mecanismos de defesa e a Lei Maria da Penha; além de atendimentos individualizados; e encaminhamentos para organismos que compõe a Rede de Atendimento à Mulher local.

O trabalho é coordenado pela SPM-BA, em articulação com o Sistema de Justiça, as prefeituras municipais, os movimentos de luta pela terra e organizações da sociedade civil, a exemplo dos Sindicatos de Trabalhadores Rurais (STRs).

Fonte: Assessoria de Comunicação
Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA)

Comentários