Servidores públicos de Maragogipe estão em estado de greve

O Estado de Greve é uma situação que é aprovada pelos trabalhadores, alertando aos governantes que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve.

Depois da última Assembleia Geral dos servidores públicos maragogipanos, ocorrida no dia 16 de maio, onde ficou decidido, pela maioria dos servidores presentes, o retorno ao trabalho, após registro em ata, que a Prefeitura de Maragogipe apresentará uma proposta no dia 10 de junho, para a assembleia de servidores que será realizada neste mesmo dia, às 9 horas, na sede do SIFUPREMA.

Os técnicos da prefeitura fizeram sua apresentação do primeiro quadrimestre relatando possível queda na receita no município. 

As representações sindicais questionaram e colocaram a proposta de diminuir em 30% as contratações, nomeações e gratificações, que nos últimos meses vem crescendo e muito. Eles também solicitaram que fosse imediatamente devolvidos os valores descontados indevidamente por conta da greve do ano passado, os representantes da prefeitura concordaram com a ata, mas deixaram claro que o poder da decisão era da prefeita Vera Lúcia.

"Numa negociação sindical é assim, para avançar, uma parte tem que ceder, desta vez foram os servidores, onde suspendemos a greve para dar mais uma chance a prefeitura, mas esperamos que no dia 10 de junho, a prefeita nos ofereça um percentual de reajuste, porque zero porcento ninguém merece né Vera", disse Mário de Dezinho presidente do Sifuprema.

Já a presidente da APMM e diretora da APLB Lília Denise, afirmou que "a greve foi suspensa respeitando a decisão da assembleia, mas a luta continua, ou seja estamos em estado de greve até a próxima assembleia dia 10/06, e como este ano é eleitoral, acredito que a prefeita Vera não vai quebrar um ciclo de 16 anos que os servidores públicos de Maragogipe recebem um aumento anual."






Comentários