Maragogipanos prestam homenagens ao ex-prefeito Domingos de Mello e Albuquerque


No dia 10 de julho, centenas de maragogipanos prestaram homenagens ao grande mestre Domingos de Mello e Albuquerque. O velório aconteceu no Terreiro Ilê Axé Alabaxé, onde amigos e familiares prestaram suas homenagens. Os irmãos da Loja Maçônica Acácia do Paraguaçu também prestaram suas homenagens ao ilustre membro da Loja.


Em frente ao Paço Municipal, mais homenagens foram prestadas ao ilustre maragogipano. 

Segue texto de homenagem do ILÊ ALABAXÉ E DE BABÁ ROBINHO DE OTIN A PROFESSOR MINGO, PAI MINGO DE OGUN 

Ontem, foi um dia de luto para o Ilê Alabaxé, para a Associação Edson dos Santos do Ilê Alabaxé de São Miguel Archanjo e para Maragogipe porque nosso querido Pai, amigo e irmão Mingo nos deixou para entrar no mundo do Orun seguro nas mãos daqueles aos quais devotava sua fervorosa fé: Os Orixás, Nossa Senhora das Candeias, Santo Antônio e São Bartolomeu. 

Maragogipano de nascimento, aqui, em sua terra-mãe, em seu torrão natal semeou suas sementes como pai, filho, amigo, irmão, companheiro e professor. Não sem razão tinha orgulho e se sentia honrado em ser chamado de Professor Mingo. 

Impossível falar da história de Pai Edinho de Oxossi, da história do Alabaxé, desde o momento de sua iniciação e da fundação da Casa de Oxossi: a história de Pai Edinho de Oxossi, do Alabaxe, da Associação Edson dos Santos, de nossa terra-mãe Maragogipe e do Professor Mingo é uma única e só história de lutas, de alegrias e de tristezas, mas, sobre tudo, uma história de vitórias sobre as adversidades, salvo sobre aquela que é o nosso único destino certo e irrecusável: a morte. 

Morte que, na nossa religião, não significa o fim da vida, mas, sim, o início de uma nova etapa, portanto, um novo começo. Agora, deixando o Aiyé, a terra dos homens, Professor Mingo de nós cuidará em um novo plano de sua existência. E, porque vivo seguirá nas nossas vidas, no nosso axé, a ele, Pai Mingo de Ogun, Axogun do Ilê Alabaxé, seguiremos dedicando nossos cultos, nossas homenagens. Tal e como fizemos em vida seguiremos fazendo após sua morte física, como é da vontade dos nossos Orixás, e foi, e é, da vontade de seu amigo-irmão Pai Edinho de Oxossi. 

Mingo, nascido Domingos de Mello e Albuquerque nunca perdeu sua altivez e autoridade, atributos próprios de um verdadeiro professor, de um Mestre da vida, vida bem nascida, bem vivida, bem abençoada, bem amada, tanto que todos nós, de todas as religiões, de todas as filiações partidárias, de todos os grupos sociais, culturais e religiosos lhes rendemos homenagens à hora de sua partida. 

Desde aqui, desde este lugar, desde este tempo e momento de tristeza e de luto, pessoalmente e em nome da comunidade tradicional do Terreiro Ilê Alabaxé e da Associação Edson dos Santos do Ilê Alabaxé de São Miguel Archanjo, onde exercia as funções de vice-presidente, agradeço a toda sociedade maragogipana que se fez presente ao enterro de Pai Mingo ao tempo que rendo minhas, nossas homenagens e agradecimentos à vida eterna de Professor Mingo que, deixando o Aiyé com a certeza de seus deveres cumpridos, inicia uma nova caminhada de vida no mundo da eterna paz. Com saudades Babá Robinho de Otin

Fonte das fotos: Blog do Juraci Rebouças

Comentários