Carta do Leitor: O que você fez nas eleições 2016 em Maragogipe? (Raimundo Jorge Sá)

O que você fez nas eleições 2016 em Maragogipe?

Passada a euforia da disputa eleitoral, baixada a poeira da enorme tensão dos dois lados em disputa, fica as perguntas: O que você fez durante o período de campanha até o dia decisivo? Buscou o quê? Correu atrás do quê? Votou pra se vingar de alguém? Ou porque realmente fulano era melhor opção que beltrano? Enfim, votou por ódio ou por sentimentos mais nobres?

E ai meu irmão, o que você fez? Por um acaso, se vendeu? Você, que ficou “indignado” com os deputados que receberam dinheiro do “mensalão” pra votar a favor dos projetos do ex-presidente Lula, por um acaso, recebeu dinheiro pra votar em algum candidato? E então, você se igualou a eles? Ou votou pensando no bem comum?

E você, votou acreditando na promessa de emprego na Máquina Pública? Ou pensando na política pública que gere emprego na comunidade, e não só pra você?

E você, “Cristão”, se ausentou do processo, alegando que a política é suja, ou coisa do “inimigo”? Não se esqueça que todos os seus direitos trabalhistas, sociais e garantias individuais, inclusive o de ir com suas Bíblias debaixo do braço para seus cultos, sem nenhum tipo de repressão, foram conquistados a partir da POLÍTICA.

E ainda, falando de você, ”Cristão”, que se envolveu até demais, como foi seu comportamento? Foi ético? Ou fez algo que possa se arrepender depois? Não se esqueça de que Deus é o “Olho que tudo vê”.

E então, o que realmente você fez? Você, por um acaso, prometeu voto a algum candidato, seja vereador ou prefeito, e no dia decisivo votou em outro. Enfim, você usou aquilo que vive condenando nos políticos, a DESONESTIDADE?

Espero que não haja respostas como: “sim, votei por vingança ou ódio”. “Sim, vendi meu voto”. “Sim, votei pela promessa de emprego na máquina ou pelo favor pessoal”. “Sim, me ausentei porque sou Cristão”. “Sim, sou Cristão e fui antiético”. Enfim, “sim, fui desonesto”. Que tais respostas façam parte de um mundo que não existe, que seja mais uma trama fictícia de novela Global.

Que no nosso mundo real, as respostas sejam sempre: “Não, não votei por ódio ou vingança”. “Não, não vendi meu voto”. “Não, não votei pensando só em mim”. “Não, não fui antiético, honrei meu compromisso com Deus”. “Não, não me ausentei do processo eleitoral por ser Cristão, muito pelo contrário, é também por ser Cristão, além de cidadão, que luto para que a Política seja um instrumento que garanta uma vida digna para todos, e não de privilégios para poucos”.

E aí, caros eleitores da nossa Patriótica Cidade, estamos encerrando nosso texto e, para finalizar, espero que cada um de nós, ponha a mão na consciência e faça a devida pergunta: O QUE FOI QUE EU FIZ?

Raimundo Jorge Sá.

Comentários