Especial AgoraNaBahia contribui com a dados e informações sobre a segurança pública em Maragogipe

Mais uma vez, Genildo Lawinscky contribui com o município de Maragogipe em mais uma matéria especial. Desta vez, o tema foi segurança pública em um especial que contemplou dados e informações sobre Maragogipe. Leia a matéria na íntegra:


Por Genildo Lawinscky

Os moradores da cidade de Maragogipe, às margens do Rio Paraguaçu, Recôncavo Baiano, tiveram uma manhã de pânico nesta quinta-feira (27), depois que alguns homens usando motocicletas, cometeram alguns arrastões na cidade. Taxistas, clientes de uma casa lotérica, feirantes e até pacientes que aguardavam marcação de exames em uma clínica foram as vítimas.

De acordo com relatos de moradores de Maragogipe, feitas ao #AgoraNaBahia, a onda de assaltos começou pela Feira de Araci, onde feirantes e alguns clientes foram assaltados. Depois que fugiram desse local, algumas pessoas que passavam a pé pela Rua São Bartolomeu também foram vítimas e perderam dinheiro e celulares.

O mesmo grupo seguiu assaltando e encontrou uma fila de pacientes em frente a uma clínica. Todos estavam no aguardo da marcação de consultas e exames, quando foram surpreendidos e tiveram que entregar o que tinham. Ali pertinho, os ladrões abordaram taxistas que estavam em um ponto e pelo menos três deles foram assaltados.

Uma das últimas ações dos bandidos foi em uma casa lotérica. A fila de clientes foi o alvo e todos perderam dinheiro, celulares e relógios. O #AnB não conseguiu saber se os bandidos também assaltaram os caixas da Casa Lotérica.

A ação desta manhã ocorre um dia depois da ação de bandidos que assaltaram a agência dos Correios de Maragogipe, bem no centro da cidade. Ação assustou os moradores, pois ocorreu em pleno horário comercial.

Moradores da cidade, estão indignados com as ocorrências constantes de violência em uma das cidades mais bonitas e tradicionais do Recôncavo Baiano. De acordo com eles, o clima de romantismo e tranquilidade deu lugar, há muito tempo “à violência constante, com assaltos e outros crimes que tiram a tranquilidade de nós moradores”, diz um estudante que prefere não ter o nome divulgado.

Medo

A ocultação do nome ao fazer denúncia, talvez tenha uma explicação para a população da cidade que tem pouco menos de 50 mil habitantes. A todo instante as notícias sobre violência são divulgadas e envolvem, principalmente, jovens que têm envolvimento com o tráfico de drogas. Maragogipe vem sendo destaque em noticiário policial, por causa da guerra pelo tráfico na região, travada por duas organizações: Katiara e Caveira.

“Todos são muito violentos e não hesitam em matar quem atravessar ou tentar impedir a venda de drogas em qualquer ponto da cidade”, diz mais um morador que implora para não ter o nome divulgado. Alguns costumes como passar na beira do rio, sentar na praça, curtir em um barzinho com amigos, hoje são tidos muito mais como atividades de risco e não de lazer, como antigamente, conforme esse morador de 62 anos.

Polícia

Procurada pelo #AgoraNaBahia, a delegada Ana Neide, que está em Maragogipe há mais de um ano, confirmou as ocorrências desta quinta-feira e disse que as pessoas estão comparecendo para prestar informações, enquanto a polícia faz buscas em toda a cidade na tentativa de prender os ladrões responsáveis pelos arrastões de hoje.

Ana Neide confirma que um dos principais problemas que enfrenta é a guerra do tráfico e a disputa das duas facções. “Esse é um problema, mas sempre estamos trabalhando, sem dar espaço para que haja crescimento desses grupos”, diz a delegada.

Ao falar em estatística, Ana Neide não tem em mãos a estatística de crimes em 2016, mas diz que os números da criminalidade na cidade não são os ideais, mesmo que em 2015 tenha havido redução nos homicídios em relação a 2014.


Esses dados acima são fornecidos pelo setor de estatística da Secretaria de Segurança Pública e mostram que entre 2014 e 2015, a estratégia de policiamento em Maragogipe parece ter dado certo. Homicídio doloso – quando há intenção de matar, tentativa de homicídio, furtos e roubos de veículos tiveram números inferiores no ano passado. Perguntada sobre a estrutura que dispõe para o trabalho de combate ao crime organizado na cidade, a delegada Ana Neide resume a resposta com uma palavra: “complicada”.

A cidade

Uma das mais belas cidades do Recôncavo Baiano, Maragogipe tem pouco menos de 50 mil habitantes e sempre teve tradição de ser um dos municípios que mais atraem turistas na região. Eventos como a Regata Aratu-Maragogipe e a Festa em homenagem a São Bartolomeu, sempre levam milhares de pessoas ao município, mas alguns moradores garantem que a frequência está diminuindo de ano para ano por causa da repercussão da violência na cidade.

O blogueiro Zevaldo Sousa, escreveu hoje na página que mantém sobre os problemas de Maragogipe, que a cidade “necessita, em primeiro lugar, debater segurança pública. O tema pode até ser caro, mas precisa ser colocado na mesa de debates urgente. Traçar um Plano Municipal de Segurança Pública e apontar caminhos para a solução deste problema deve ser pauta prioritária da próxima gestão”.

Fonte: AgoraNaBahia

Comentários