Maragogipe: Alto número de abstenções sinaliza pedido da população por renovação dos quadros políticos

Por Zevaldo Sousa e Jessé Patrício

A população maragogipana reclamou e muito nesta Eleição 2016. Muitos eram os eleitores que afirmavam que estavam votando em candidato A por não querer a eleição do candidato B e vice-versa. Muitos afirmavam categoricamente que preferiam pagar multa do que votar em qualquer um dos dois candidatos e muitos exigiam uma terceira via nesta eleição que teve apenas dois candidatos. As reclamações não paravam durante os 45 dias desta Eleição 2016.


De acordo com o gráfico acima, criado pelo Blog do Zevaldo Sousa, o número de eleitores no município de Maragogipe só faz aumentar e o número de abstenções cresceu na mesma proporção. nas últimas três eleições municipais o número de eleitores que deixaram de votar cresceu 280% com relação a 2008 e este crescimento, em parte, é fruto da insatisfação que os eleitores tem com relação aos candidatos. A própria guerra entre candidatos nesta eleição afastou o eleitorado indeciso ou ampliou ainda mais a corrupção nas relações entre candidato e eleitor. Ficou difícil convencer pessoas a votar em candidatos desgastados e já testados que pouco apresentavam seus projetos e ideias.

Atualmente, em um movimento que toma conta do Brasil inteiro, nem os políticos nem os partidos estão dando as respostas que a sociedade deseja. O desgaste é muito grande, visto que a grande maioria das pessoas considera que os políticos são corruptos e não conseguem promover os benefícios e os direitos que os cidadãos necessitam. 

Essa desconfiança atingiu em cheio o município de Maragogipe e um grande número de pessoas desejavam votar em um candidato que ainda não havia sido testado pela população. O alto número de abstenções sinaliza este pedido da população por renovação dos quadros políticos locais. Surge a oportunidade para novos nomes, novas ideias e novos métodos de se fazer política. 

Com isso, foi perceptível que o alto índice de desconfiança acabou exigindo dos nomes mais conhecidos na política maragogipana um pagamento antecipado para efetivação da votação. Neste sentido, ganhou quem teve mais recursos financeiros e disseminou propaganda negativa contra o candidato adversário com mais eficácia.

Ou seja, esse binarismo partidário, sem um surgimento de uma terceira via só fez alimentar os eleitores já desacreditados a não comparecem nas urnas ou votarem nos mesmos de sempre sem convicção política formada sobre tal candidato. Transformado assim as eleições em um BAVI em que no final quem perde é a cidade. Pois mostra-se durante a campanha que os está em jogo é mais a manutenção do poder ou a chegada nele do que pensar na cidade de forma séria e consciente.

Comentários