"Não existe segurança pública em Maragogipe", por Paulo Guerreiro

Por Paulo Vicente Guerreiro Peixoto


O que se faz necessário é uma movimentação popular e política na qual toda a cidade se movimente.

Aqui em Maragogipe existe aquela filosofia: "Enquanto não me atingir eu só ouço e não reclamo."

O que se precisa é uma movimentação geral, desde a população, como os comerciantes, o legislativo e o executivo, exigindo uma melhor segurança para o Município.

Conversei com alguns comerciantes e, com raríssimas exceções, estão olhando mais para seus umbigos que para a coletividade.

Como já disseram anteriormente, quando morrer um cidadão de bem, dentro de um estabelecimento comercial, dentro da lotérica, ou de uma financeira, aí, talvez a sociedade, em um todo, se unam para exigir seus direitos.

Em conversa com a Juíza e a Promotora em sala de audiência na presença de um representante da Polícia Militar, fiz ver que não existe segurança em Maragogipe, sequer dentro das Delegacias e do próprio Fórum.

E, nem, quero entrar nesta estratégia "maluca" de retirar do centro da cidade as Polícias Militares e Civis, colocando dentro de contêineres na Ladeira do Corte.

Por Paulo Vicente Guerreiro Peixoto

Comentários